PSICOLOGIA PARA TODOS

BLOG QUE AJUDA A COMPREENDER A MENTE E OS COMPORTAMENTOS HUMANOS. CONSULTA-O E ESCREVE-NOS, FAZ AS PERGUNTAS E OS COMENTÁRIOS QUE QUISERES E COLABORA PARA MELHORAR ESTE BLOG. «ILUMINA» O TEU PRÓPRIO CAMINHO OU O MODO COMO FAZES AS COISAS…

DESORIENTAÇÃO

Vou tentar dar uma resposta possível para um caso complicado que não é fácil ser apoiado à distância e, por isso, transcrevo aBiblio seguir o comentário feito no post Ajuda a uma Nova Professora, de 11 de Agosto deste ano.

“Quando li este poste gostei da ajuda dada a uma professora. No meu caso, será possível obter alguma?
Tenho 18 anos, acabei o 12º ano com 11 valores e não sei o que fazer. Os meus pais, com mais de 50 anos, dão-se muito mal e o mal-estar é muito visível, embora não se agridam à minha vista. Aparentemente muito civilizados, não se suportam nem se separam. Tudo isto faz-me supor que se suportam mutuamente por minha causa. A situação financeira dos pais não é má mas, se houver uma separação, com quem fico eu? Fazem-me as vontades quase todas menos a de se mario-70
darem bem, de facto, um com o outro. Já nem consigo pensar no caminho que devo seguir no futuro. A minha situação em casa dos pais é cómoda mas desagradável. Não posso continuar assim. Não consigo optar por qualquer curso sem a concordância dos pais. Se tiver algum namoro o que será? Não sei o que fazer.
Chame-me Anónima A.”

Minha cara menina,

Tenho imensa pena que os seus pais se dêem tão mal que a deixem desorientada. Pequenas discussões, arrufos e Imagina-Bdesentendimentos são absolutamente vulgares e frequentes, embora agressões maiores sejam raras.

O seu caso faz-me lembrar imediatamente o da Cidália (Eu Também CONSEGUI!), por motivos diferentes. Mas, o que me preocupa mais são várias coisas:
* falta de apoio que sente da parte dos pais em conjunto;
* dificuldade em ter a ideia de um percurso de vida aceitável e desejado;
* possibilidade de entrar em conflito por não poder dar uma resposta adequada à sua situação;
* possível má resposta a dar em caso da frustração, por não conseguir atingir um modo de vida satisfatório.Consegui-B

Se não tiver qualquer apoio psicológico como aconteceu inicialmente com a Cristina (Como «Educar» Hoje), porque não se sentia «maluca», pode criar desequilíbrios na personalidade e no seu regular funcionamento, ocasionando aquilo que se chamará uma neurose ou qualquer outra coisa semelhante, se não for pior. Depende das circunstâncias e dos especialistas.

Além disso, em caso de apoio directo, suponho que os seus pais terão de concordar com a ideia e, possivelmente, poderão evitar isso para «não se lhes descobrir a careca».Maluco2

Se não houver esse apoio necessário, porque julgo que a sua personalidade não está ainda bem estruturada e equilibrada, embora lúcida, o melhor que tem a fazer é socorrer-se de si própria e de alguns amigos sinceros e verdadeiros que a ajudem, sem falsa pena e com toda a objectividade possível. Tem de descobrir um caminho como se estivesse num labirinto. Nele, todos os nossos sentidos deverão estar no alerta máximo. É difícil, mas não impossível. Para o conseguir tem de fazer relaxamento. Leia o que aconteceu à Cidália.

Também ela andou «perdida» durante os primeiros tempos até que começou a fazer relaxamento e a tentar reviver os seus Depressão-Bprimeiros bons tempos, que também todos nós temos mas esquecemo-nos deles. Como estarão a passar o seu tempo os mineiros soterrados na mina, no Chile?

Se alguns desses mineiros conseguissem, durante os seus momentos de não fazer coisa alguma, entrar em relaxamento e relembrar o seu comportamento passado para descobrir se o poderiam ter orientado de outro modo, talvez até pudessem planear um futuro melhor no sentido de maior vigilância, detecção de pontos fracos, melhoria de comunicações ou vigilância mais apertada. Seria possível, seria exequível? Talvez sim, talvez não, mas não é descabido utilizar o tempo em reforço do comportamento incompatível desviando a atenção para factos diferentes da «prisão» à qual estão confinados. Dos males o menor e que o Diabo o venha escolher!Acredita-B

Concretamente no seu caso, julgo que tem de compreender que a sua vida terá de ser autónoma e sem apoio dos pais. De que modo se vai auto-sustentar? Que curso vai tirar ou que profissão vai exercer? Este exercício pode ser melhor executado se conversar com os tais amigos e idealizar situações com a observação feita durante o dia e as recordações daquilo que vê nas variadas profissões.

Falei na Cidália e na Cristina. Acha que esta teria a vida que começou posteriormente se não tentasse por si própria entrar em relaxamento apesar de ter uns pais que quase a adoravam mas que nunca a tinham ajudado a ultrapassar frustrações?Joana-B

A Joana (JOANA a traquina ou simplesmente criança?) foi treinada para isso logo de início. Teve a coincidência de ser filha de pais «des-unidos» por causa da sua educação mas que, por sorte, ficaram «re-unidos» devido a umas quantas situações fortuitas que se foram sucedendo. Contudo, eles compreenderam a situação e ajudaram a que a Joana até conseguisse ter um irmão com quem iria treinar a arte de bem educar.

Portanto, lendo com atenção as vidas e as peripécias destas pessoas, é capaz de tentar entrar em relaxamento como fez o Tiago e continuar como a Cristina e, especialmente como a Cidália, para conseguir imaginar a vida real e possível Psicologia-Bque vai desejar ter no futuro? Parece que já descobriu que o comportamento dos seus pais não é o ideal. Vai tentar imitá-los ou esse comportamento vai servir como um exemplo a não seguir ou adoptar? Vou alertá-la quanto a um casamento precipitado ou inadequado, bem possível como uma resposta à frustração que está a sentir. Pode também arranjar algum «amigo bem-intencionado» que posa aproveitar-se da situação da sua desorientação.

Cuidado! Relaxe-se. Veja bem nas páginas 149-155 de Saúde Mental sem Psicopatologia o que pode acontecer se dermos constantemente respostas precipitadas. Consulte também o post História do nosso blog – sempre Saude-Bactualizada (17Nov09) e descubra aqueles que mais a possam interessar e que dão respostas a outras pessoas em dificuldades.
Pense bem em tudo, medite e, se necessitar de mais algum apoio, faça comentários.

Não sei onde reside, mas esses livros que recomendei, ofereci-os à Biblioteca do ISMAT e à Biblioteca da Câmara Municipal de Lagos.
Espero conseguir ter conhecimento das melhoras da sua situação, como já tem acontecido com algumas pessoas.arvore

Boa sorte, menina Anónima A.

Já leu os comentários?

Ver post LIVROS DISPONÍVEIS

É aconselhável consultar o ÍNDICE REMISSIVO
de cada livro editado em post individual

Blogs anteriores:

PSY FOR ALL (desactivado) [http://www.psyforall.blog.com]

PSICOLOGIA PARA TODOS [http://psicologiaparaque.blogspot.pt/]

Para tirar o máximo proveito deste blog, consulte primeiro o post inicial “História do nosso Blog, sempre actualizada”, de Novembro de 2009 e escolha o assunto que mais lhe interessa. Depois, leia o post escolhido com todos os comentários que são feitos. Pode ser que descubra também algum assunto acerca do qual nunca tivesse pensado.

Para saber mais sobre este blog, clique aqui

Anúncios

Single Post Navigation

2 thoughts on “DESORIENTAÇÃO

  1. Julgo que não foi o meu caso, mas sempre ajuda. Vou tentar seguir este aconselhamento.

  2. CãoPincha on said:

    Gostámos deste poste e achamos que os pais têm de estar em contacto com os filhos mais tempo do aquele que despendem agora. A juventude tem de aprender com os mais velhos e seguir os seus bons costumes.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: