PSICOLOGIA PARA TODOS

BLOG QUE AJUDA A COMPREENDER A MENTE E OS COMPORTAMENTOS HUMANOS. CONSULTA-O E ESCREVE-NOS, FAZ AS PERGUNTAS E OS COMENTÁRIOS QUE QUISERES E COLABORA PARA MELHORAR ESTE BLOG. «ILUMINA» O TEU PRÓPRIO CAMINHO OU O MODO COMO FAZES AS COISAS…

RESOLVER UMA DIFICULDADE

Recebemos há pouco dos CãoPincha o seguinte comentário ao qual vamos responder neste post.

“Um dos nossos conversadores leu com atenção este poste e alguns dos outros porque tem um problema Psicologia-Bsemelhante com o filho.
A história deste rapaz é quase semelhante ao do filho deles e os pais revêem-se nela.
Ambos gostariam (e nós também) de saber como ficou resolvido o caso para ver se conseguem fazer alguma coisa pelo filho.
Agradecemos já a ajuda que puder prestar a eles e também aos que visitam o nosso
blog. Vamos fazer uma ligação.
Ouvindo os psicólogos que aparecem nos três canais da televisão, não compreendemos coisa alguma. Interacção-B30

Quando dizem que alguns comportamentos e distúrbios são normativos ficamos ainda mais confusos.
Como não devem ser poucos os que têm problemas semelhantes, sem dinheiro para as consultas que possam resolver a situação, solicitamos um esclarecimento se for possível.”

Antes de tudo, tenho de fazer recordar que todos os casos são diferentes e nenhum se pode sobrepor a outro ou confundir-se com o mesmo. Contudo, também todos são muito semelhantes. Do mesmo modo que os europeus são mais Saude-Bparecidos com os europeus do que com os africanos ou asiáticos, os problemas são parecidos uns com os outros e tão diferentes como um tailandês de um indonésio, dum timorense ou dum indiano. É importante ter bom senso e observar bem as particularidades quando se fazem comparações paras se estabelecerem as necessárias diferenças.

Nem todas as fobias de ratos são iguais. É necessário tomar em conta a pessoa, o traumatismo que sofreu, a idade, o local, o ambiente, os reforços recebidos, as circunstâncias em que isso se pode ter iniciado, além de muitos outros factores imponderáveis e indetectáveis.Acredita-B

Os livros recomendados destinam-se e ser lidos, para daí cada um tirar as parecenças e estabelecer as diferenças necessárias. Servem de modelo de actuação adaptado a cada caso. Por isso, é necessário ter em devida conta muita coisa como aconteceu com o Antunes que, praticamente, depois das muitas horas de conversa com o psicólogo foi fazendo os seus juízos de valor e apreciando cada situação no momento preciso em que era necessário actuar.

Utilizar a sensatez e ter a humildade necessária para reconhecer os «erros» cometidos, tentar descobrir as causas de tudo, é Consegui-Bextremamente importante. Senão, a sua psicoterapia feita quase independentemente estaria votada ao fracasso. Além disso, se o seu problema fosse mais complicado, talvez não tivesse o desfecho conseguido. Além de tudo, é bom não esmorecer perante os primeiros fracassos que sempre ocorrem no início de qualquer acção que exige persistência, tal como no atletismo. O primeiro entusiasmo não chega.

Para começar a dar a resposta, a história resumida do rapaz de quem se fala, consta mais ou menos do seguinte, conforme está no post inicial:
«filho único de pais que se davam mal, demonstravam sub-repticiamente medos e ansiedades não controladas, superprotegido e talvez mimado, com nível intelectual mal desenvolvido e mal reabilitado Imagina-Bao longo da última dezena de anos, com alguns traumatismos à mistura» – factos esses que ele sobejamente conhecia – de que serviria apenas perceber tudo isso para a sua recuperação ou resolução dos problemas?”
 
O que eu faço num caso destes, é recomendar a leitura dos livros sobre a modificação do comportamento (F) para descobrir de que maneira os simples actos do dia-a-dia, influenciam a nossa conduta. Também temos de saber de que modo o ambiente nos influencia e orienta para um lado ou outro.

 Por exemplo, se o rapaz tiver assistido a episódios de medos disfarçados vividos pelo pai ou pela mãe, pode ser influenciado Maluco2pelos mesmos e obter reforço vicariante. Além disso, pode ter visto de que maneira o pai se «safou» do medo. Se adoptar esse modelo ou se se identificar com o pai, vai aprender a proceder da mesma maneira. Provavelmente, até os pais podem dizer que quando crianças tinham medos semelhantes e que depois podem passar (ou ser bem disfarçados com comportamentos de fuga dissimulada?).

Neste caso, é necessário ou os progenitores não demonstrarem medo ou, pelo menos, apresentarem como é que o controlam saudavelmente sem ser apenas com recomendações.

Se os pais não se entendem, têm de demonstrar que isso já não acontece. Se houver alguma divergência, deve ser Psicopata-Bresolvida totalmente fora da vista, ouvido, imaginação do rapaz. Isso pode baixar-lhe a ansiedade provocada pelo não entendimento ou separação dos pais. Ele deve querer os dois e não um de cada vez a dizer mal do outro. Para conseguirem tudo isto é fundamental que eles também façam o relaxamento e entrem nas profundezas das suas «almas» para descobrir os factos passados, vivenciar os seus comportamentos e as causas dos mesmos, descobrir alternativas e tentar imaginar formas novas de proceder, coincidentes com os objectivos pretendidos.

Os traumatismos têm de ser relembrados, revividos, compreendidos e, se possível, ultrapassados» Psi-Bem-Ccom a aprendizagem da inevitabilidade da sua ocorrência, o que se pode fazer na imaginação e não com conselhos. Só a prática pode ajudar. É fundamental que o rapaz também pratique o relaxamento. Tudo isto é complicado, mas possível em certos casos. Senão, o Antunes, a Cidália, o Júlio, o Joel, a Isilda, a Cristina, a Germana, o Januário, o Mijão, a «nova paciente» e muitos outros não teriam conseguido atingir muito em pouco tempo com uma ajuda quase ridícula ou até sem ela. O importante é o bom senso para analisar as situações, treino, humildade para reconhecer os erros e persistência para não esmorecer.

O nível intelectual ou as funções têm de ser avaliadas para se poder descobrir até que ponto pode avançar nos estudos ou numa Difíceis-Bárea profissional, sendo para tanto de muita utilidade um exame vocacional. O exame de personalidade pode também ajudar a escrutinar se existe alguma dificuldade na estrutura da personalidade que ajuda e ter comportamentos inadequados, se as melhoras não forem substanciais.

No caso de não haver qualquer ajuda de psicólogo, os pais podem não se dar mal um com o outro e começar por dar o exemplo em relação a medos, etc. Conversando calmamente com o filho, podem tentar saber muita coisa que vai na cabeça dele, os seus receios, os seus anseios, as suas expectativas futuras e discutir aberta e francamente todos os assuntos relacionados com a sua vida. É fundamental que seja tratado como um adulto e não superprotegido como acontecia anteriormente. É bom também que os pais discutam este assunto com ele e lhe façam ver que mario-70
foi um erro deles cometido por desconhecimento. Neste assunto, o exemplo da Cristina pode ajudar a estabelecer uma ponte mais íntima entre pais e filho.

A recomendação da leitura dos livros baseia-se essencialmente nos exemplos de que as pessoas se podem socorrer para orientar a sua acção, sem copiar mas com as adaptações necessárias. Todo o blog está cheio de posts com exemplos que não vou mencionar e muitos dos quais foram tirados dos livros que são mencionados.

Se nada disto der como resultado minimizar as dificuldades ao fim de 6 meses de leitura atenta dos vários posts e livros, que não vou mencionar porque são todos importantes, além do «trabalho» dos pais, é bom que seja consultadoBiblio um psicólogo para que possa dar a orientação necessária.

A utilização das técnicas de modelagem, modelagem, facilitação e inibição social, identificação, relaxamento, reforço do comportamento incompatível, são tão importantes como a execução de procedimentos ou como o de avaliação das dificuldades.

Já leu os comentários?

Ver post LIVROS DISPONÍVEIS arvore

É aconselhável consultar o ÍNDICE REMISSIVO

de cada livro editado em post individual

Blogs anteriores:

PSY FOR ALL (desactivado) [http://www.psyforall.blog.com]

PSICOLOGIA PARA TODOS [http://psicologiaparaque.blogspot.pt/]

Para tirar o máximo proveito deste blog, consulte primeiro o post inicial “História do nosso Blog, sempre actualizada”, de Novembro de 2009 e escolha o assunto que mais lhe interessa. Depois, leia o post escolhido com todos os comentários que são feitos. Pode ser que descubra também algum assunto acerca do qual nunca tivesse pensado. 

Para saber mais sobre este blog, clique aqui

Anúncios

Single Post Navigation

3 thoughts on “RESOLVER UMA DIFICULDADE

  1. Agradecidos pelo poste. O nosso conversador vai tentar ler os livros e fazer o que está recomendado.

  2. Anónimo on said:

    Estou a gostar deste poste que talvez me sirva em conjugação com alguns anteriores.

  3. Conversador on said:

    Consegui que me emprestassem os 5 pequenos volumes de Como Modificar o Comportamento. Já estou a ler os «casos» tendo passado por cima do «prática» do qual só tirei o que me interessava.
    Alguém vai contactá-lo no princípio da semana para adquirir os livros “Eu Também CONSEGUI!” e “Como «Educar»? Hoje”.
    Entretanto, se tiver disponibilidade, vou consultar outros postes que me estão a interessar muito, tanto quanto a leitura destes livros.
    Bom fim-de-semana.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: