PSICOLOGIA PARA TODOS

BLOG QUE AJUDA A COMPREENDER A MENTE E OS COMPORTAMENTOS HUMANOS. CONSULTA-O E ESCREVE-NOS, FAZ AS PERGUNTAS E OS COMENTÁRIOS QUE QUISERES E COLABORA PARA MELHORAR ESTE BLOG. «ILUMINA» O TEU PRÓPRIO CAMINHO OU O MODO COMO FAZES AS COISAS…

RISCO DE SUICÍDIO 2

Da senhora a quem o post RISCO DE SUICÍDIO se refere, recebi no domingo à noite um e-mail do qual vou transcrever Saude-Bapenas o essencial.

 “O meu filho esteve em minha casa este domingo e leu comigo o post RISCO DE SUICÍDIO.
                                                                           …
Também ele ficou admirado com o que o post diz quanto aos traumatismos, depressão e resposta à frustração da minha filha. O mesmo deve ter acontecido com a Cidália, citada no livro. Se ela se frustrou com o comportamento dos pais e entrou em depressão, porque razão entrou em depressão antes, quando estava no curso universitário e eles não estavam cá? Não seria por causa dos estudos?Imagina-B

O meu filho também não compreende a razão de falar tão mal dos medicamentos para a depressão.
                                                                        …
Ele quis enviar este e-mail porque a carta é longa e não queria que alguns assuntos pessoais ficassem no comentário.”
 
Tentando responder a este quase comentário que foi enviado no e-mail acima transcrito, posso imaginar que a senhora ainda Acredita-Bnão leu o livro com a devida atenção. Por isso, vou dar a resposta em dois posts com o mesmo título mas numerados com 2 e 3.

No livro da Cidália, as páginas 93 e seguintes onde se insere o capítulo PRIMEIRAS ANOTAÇÕES DA CIDÁLIA, que contém o quase diário que ela mantinha em relação ao seu caso:

***

Antes de tudo, estou satisfeita por ter iniciado a psicoterapia deixando as drogas psiquiátricas. Afinal, sinto-me mais «viva» Maluco2e bem-disposta, pronta a enfrentar o futuro. A auto-análise também parece que está a ajudar-me. Quando li hoje as páginas da primeira semana, descobri que me tinha lembrado do disparate que fizera em ir a discotecas quase contra a minha vontade e sem uma companhia agradável, como se uma força interior me arrastasse para lá.

Deitei-me com isso na mente quando fui fazer o relaxamento. A meio da noite, lembrei-me dos meus pais e da revolta que senti quando soube que eles tinham amantes apesar de casados. Comecei a lembrar-me da conversa com os avós e percebi que eles também não concordavam com isso e com o que os pais tinham feito comigo. Apesar disso, os avós tinham conseguido arranjar uma boa desculpa para os deixar menos culpabilizados aos meus olhos. Afinal, Psicopata-Beles também não concordavam com o meu abandono durante os primeiros anos de vida e muito menos com a actual exigência de eu ir viver com eles, especialmente, porque nunca me tinham apoiado ou convivido comigo.

 ***

É tão bom viver para mim própria, com autonomia e independência em relação a todos, mas mantendo laços de amizade e convivência saudáveis! A solução actual é apressar a conclusão do mestrado e a obtenção de um lugar melhor do que o actual. A companhia masculina de que necessito virá com o tempo e com a convivência que Depressão-Bmantiver. Tenho de ter cuidado com os oportunismos e com aqueles que se aproveitam dos outros para aligeirarem as suas mágoas. Não me aconteceu também quase o mesmo quando comecei a ir a discotecas em Lisboa? No Algarve, onde vou com os meus amigos, não tive deslizes! Tenho de me precaver contra as falsas impressões e simpatias imediatas e fortuitas. Tenho de pensar bem no assunto. Entretanto, vou dedicar-me ao mestrado.

 ***

Ao começar a escrever estas linhas, lembrei-me que sonhara numa das noites anteriores que estava a ver alguns jovens a tentarem empurrar um carro para o pôr a funcionar. Empurrando-o durante algum tempo, conseguiam pôr o motor a Psicologia-Btrabalhar, mas passados uns instantes, «ia-se abaixo». Logo que isto acontecia, saíam todos do carro e voltavam ao «trabalho» do empurrão. Tantas vezes fizeram isso que conseguiram fazer funcionar a viatura para o seu passeio dominical.

«Finalmente conseguiram!» pensei e acordei sobressaltada a lembrar-me da minha psicoterapia. Muitos empurrões me tinham sido necessários não só para eu não desistir da psicoterapia mas ainda para ler os textos dos cinco capítulos «fastidiosos» (A) que me elucidaram bastante sobre os malefícios e a alienação provocados pela droga. O Sr. Antunes tinha sido de extrema importância! A necessidade de insistência na leitura e persistência na continuação da psicoterapia tinham sido o mote dele. Não é fácil continuar a psicoterapia Interacção-B30acompanhada e muito menos sozinha, sem conseguir uma força interior que nos obrigue a insistir naquilo que devemos fazer.

 ***

Na noite seguinte, logo depois de iniciar o relaxamento, surgiu nas minhas recordações a primeira imagem do «Finalmente conseguiram!». Nesse momento, vi perfeitamente que uma pessoa se apro-ximou dos ocupantes do carro que estava parado no meio da estrada e começou a falar com um deles.  Agora reparo que este seria conhecido do dono do carro. Depois de conversarem algum tempo, esse indivíduo ajudou-os a empurrarem o Difíceis-Bcarro que «pegou» e andou bastante. Mais tarde, sem a ajuda do outro, foram os ocupantes do carro que trataram do assunto da mesma maneira quando o carro parou numa curva. Vi que o incidente se repetiu mais duas vezes. Sem querer, continuei a pensar no assunto e verifiquei que o dono do carro e os ocupantes tinham sido os principais protagonistas ou a «causa» do «andamento» e do «re-andamento» do carro, embora o outro indivíduo lhes tivesse dado as «dicas» necessárias. Posteriormente, um mecânico disse-me que o carro devia ter estado muito tempo sem circular deixando que a bateria ficasse descarregada. Parece que dentro de mim uma voz conhecida (seria a minha?) começou a fazer perguntas ou reparos:
Achas que se o outro não tivesse entrado em conversa com o dono do carro, este estaria a funcionar?Psi-Bem-C
O outro que se aproximou não deu uma ajuda «técnica» que foi muito importante?
Se todos os ocupantes não tivessem «trabalhado», como conseguiriam pôr o carro a funcionar?

De repente, dei comigo a pensar na minha psicoterapia que começou a dar sinais de melhoria, subitamente, depois de me ter empenhado profundamente no relaxamento. Compreendi o significado desta espécie de mensagem que o meu «não-consciente» estava a mandar para o consciente dizendo que a colaboração de cada um e até dos elementos circundantes é a coisa mais importante na psicoterapia. Foi assim que aconteceu comigo.Joana-B

Eles também podiam ter desistido de empurrar o carro. Teriam conseguido dar o passeio dominical? Se eu tivesse desistido nos primeiros momentos ou se o Sr. Antunes não tivesse dado o «empurrão» final? O que seria da minha psicoterapia, dos estudos, do trabalho novo, dum eventual casamento e de tudo aquilo que poderá vir a acontecer? E, já muito cansada de tanto pensar e imaginar, antes de dormir um sono muito profundo, as palavras que me vieram à mente, como que projectadas num ecrã gigante, foram: “Eu Também CONSEGUI!”mario-70

Também na página 109, que também contém as suas memórias e recordações, lê-se:

Todas as recordações das noites anteriores fizeram-me chegar à conclusão de que os meus problemas derivavam de um traumatismo fundamental: a «falta de pais amigos e compreensivos» como tinham muitos dos meus amigos e colegas e, especialmente, a filha do Sr. Antunes. Uma vez revivido, analisado e compreendido este trauma e «arquivado» no seu devido lugar, a vida começou a ter outro sabor e significação a ponto de proporcionar uma visão muito diferente do mundo. Até comecei a conseguir pensar em planear a Bibliominha vida em outros moldes e com a dimensão futura de uma família «à minha maneira».

Já leu os comentários?

Ver post LIVROS DISPONÍVEIS

É aconselhável consultar o ÍNDICE REMISSIVO
de cada livro editado em post individual

Blogs anteriores:arvore

PSY FOR ALL (desactivado) [http://www.psyforall.blog.com]

PSICOLOGIA PARA TODOS [http://psicologiaparaque.blogspot.pt/]

Para tirar o máximo proveito deste blog, consulte primeiro o post inicial “HISTÓRIA DO NOSSA BLOG – sempre actualizada”, de Novembro de 2009 e escolha o assunto que mais lhe interessa. Depois, leia o post escolhido com todos os comentários que são feitos. Pode ser que descubra também algum assunto acerca do qual nunca tivesse pensado. 

Para saber mais sobre este blog, clique aqui

Anúncios

Single Post Navigation

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: