PSICOLOGIA PARA TODOS

BLOG QUE AJUDA A COMPREENDER A MENTE E OS COMPORTAMENTOS HUMANOS. CONSULTA-O E ESCREVE-NOS, FAZ AS PERGUNTAS E OS COMENTÁRIOS QUE QUISERES E COLABORA PARA MELHORAR ESTE BLOG. «ILUMINA» O TEU PRÓPRIO CAMINHO OU O MODO COMO FAZES AS COISAS…

RESPOSTA 19

Senhor comentador,Psicologia-B

Tentando responder melhor ao seu comentário feito no post PSICOLOGIA PARA TODOS – 10 relacionado com uma pergunta de D. Maria Correia, e às consequentes transcrições, em 10 posts, de um capítulo de PSICOLOGIA PARA TODOS (F):
“Como seria possível termos melhores noções sobre isto?
Pode dar alguma ideia?”

depois de lhe dar uma primeira resposta:Interacção-B30
“Se ler com atenção o post “RESPOSTA 17″ pode encontrar nas afirmações dos enfermeiros a resposta que possivelmente lhe irei dar logo que tiver disponibilidade para isso.”

peço que, depois de ler tudo isso, tente raciocinar comigo para ver se consegue descobrir alguma solução para a sua dúvida.

As considerações tecidas por alguns dos meus antigos alunos de enfermagem, são a informação daquilo que eles ganharam com as aulas de psicologia que lhes dei no Hospital de Vila Franca de Xira e outros, equivalentes a muitas das Joana-Bconsultas englobadas no livro da JOANA (D).

Muitos deles, questionando o «débito» da matéria teórica que estava a ser dada, colocaram questões a ser resolvidas na vida prática.

Alguns problemas podiam estar relacionados com o «questionador», mas outros, referiam-se a problemas que eles viam em pessoas com quem contactavam. Assim, não se expunham directamente mas aprendiam com a «desgraça» dos outros.

As soluções foram discutidas com enquadramento teórico, não para o psicólogo as utilizar mas para os próprios Saude-Bexperimentarem ou ajudarem outras pessoas a experimentá-las. Como resultado, muitos conseguiram resolver ou minimizar os seus problemas.

Com essa experiência prática de resolução de dificuldades, enquadradas teoricamente, conseguiram compreender aquilo que deviam fazer para resolver o que queriam ou evitar aquilo que não desejavam. Portanto, avançaram no sentido da prevenção e da profilaxia.

Não me lembro quantas horas foram utilizadas nesta acção mas, seguramente, não foram menos do que uma dezena.mario-70

Se qualquer dessas pessoas quisesse resolver o seu problema, de quantas consultas individuais necessitaria? Não seriam, seguramente, menos do que 3 ou 4 em cada caso. Do modo como tudo aconteceu, cada uma dessas pessoas assistiu a 20 consultas, partindo do princípio que participou apenas em 10 aulas.

Se alguns resolveram o problema, também se tornaram aptos a evitá-lo no futuro, especialmente, quando enriquecidos com as teorias expostas para a resolução do caso e a aprendizagem de possível evitamento futuro.

Se 30 pessoas com problemas, provavelmente diversificados se juntarem, essas sessões ficam automaticamente divididas por Biblio30, com a vantagem de algumas pessoas conseguirem verificar o que se pode fazer em casos diferentes do seu. E ficam precavidos para o futuro.

Se cada pessoa, necessitasse apenas de uma consulta (com a qual pouco ou nada poderá resolver), juntando-se a mais 29 pessoas, como os alunos fizeram, vai beneficiar com a possível resolução do seu problema, da aprendizagem da resolução de problemas diferentes e com a assistência de 20 consultas, partindo do princípio que uma aula demora o dobro do tempo duma consulta de psicologia.

Tudo depende de quem estiver interessado em juntar-se a outras pessoas, arranjar um local onde se possa fazer essas reuniões Acredita-Be, se possível, a utilizar a projecção de powerpoint para uma aprendizagem mais eficaz.

A propósito dessas aulas da ciência de psicologia (modificação do comportamento), também posso dizer que os enfermeiros, entusiasmados com os resultados, quiseram que a experiência se repetisse com outros grupos de pessoas, em 4 fins de semana em que cada sessão durou 3 horas. Foram 12 horas de aulas em 4 fins-de-semana semana, marcadas segundo as suas conveniências, para cada um poder experimentar aquilo que tinha aprendido e discutido no decurso das aulas e reformular tudo conforme as necessidades.

Como resultado destas acções, lembro-me, por acaso, de dois ou três casos resolvidos a seu contento.Consegui-B

Um casal em que o marido, depois do jantar, deixava a esposa em casa a lavar a louça e ia tomar a bica com os amigos para regressar tarde, a mulher conseguiu que ele passasse a ficar em casa, a tomar café com ela e até a ajudá-la a enxugar a louça.

Uma senhora cuja filha tinha medo de galinhas, fugindo delas a sete pés, conseguiu que a criança de 7 anos, brincasse com as galinhas e até as afagasse.

Outra senhora que tinha um sobrinho a sofrer de enurésia nocturna e usava fraldas para dormir, conseguiu que ele não Imagina-Bnecessitasse de qualquer fralda quando estava em sua casa. Posteriormente, a mãe do mesmo rapaz, a quem chamava amorosamente «pinguim», também conseguiu isso quando assistiu às aulas de psicologia e discutiu o assunto com o psicólogo.

Em qualquer destas situações, quantas consultas de psicologia seriam necessárias para resolver o assunto? Estas situações ficaram sanadas apenas com o equivalente a uma consulta de psicologia, assistida 20 vezes na companhia de mais 29 pessoas, durante 3 horas em cada uma das 4 semanas que durou o respectivo seminário? (ou workshop como gostam de dizer agora?)Psicopata-B

Se o assunto não ficar resolvido, diminui, pelo menos em um terço a quantidade de consultas individuais necessárias porque a pessoa «entrou» nos mecanismos da modificação do comportamento que se pretendem utilizar.

Em relação à psicoterapia, esta ideia foi apresentada em ACREDITA EM
TI. SÊ PERSEVERANTE!
(B/117-129).

Se isto puder servir de algum proveito para a sua curiosidade, dou-me por totalmente satisfeito.

Já leu os comentários?arvore-2

Clique em BEM-VINDOS

Ver post LIVROS DISPONÍVEIS

É aconselhável consultar o ÍNDICE REMISSIVO
de cada livro editado em post individual.

Blogs relacionados:

TERAPIA ATRAVÉS DE LIVROS [http://livroseterapia.wordpress.com/]

PSICOLOGIA PARA TODOS (o antigo) [http://psicologiaparaque.blogspot.pt/]

Para tirar o máximo proveito deste blog, consulte primeiro o post inicial “HISTÓRIA DO NOSSO BLOG – sempre actualizada”, de Novembro de 2009 e escolha o assunto que mais lhe interessa. Depois, leia o post escolhido com todos os comentários que são feitos. Pode ser que descubra também algum assunto acerca do qual nunca tivesse pensado.

Para saber mais sobre este blog, clique aqui

Anúncios

Single Post Navigation

8 thoughts on “RESPOSTA 19

  1. Ainda bem que a D. Maria Correia nos proporcionou estas informações através da exposição das dificuldades dos seus familiares.

  2. Gostei deste poste bem como dos últimos dedicados à Psicologia para Todos.
    É pena não podermos ter conversas deste género para compreendermos melhor o nosso comportamento.

  3. Não há dúvida que no nosso grupo dos CãoPincha estamos a gostar dos seus últimos artigos.
    Continue assim que pode ajudar muita gente.

  4. Era bom que alguém conseguisse impulsionar as ideias deste artigo.

  5. Anónimo on said:

    Estou confuso com o que devo fazer com o meu filho que ficou comigo depois do divórcio. Está no 8º ano, com probabilidade de chumbar pela primeira vez.

  6. É pena que não se consigam fazer reuniões em que se possa discutir francamente estes assuntos.
    As universidades sénior ou as juntas de frequesia não poderiam implementar reuniões deste tipo?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: