PSICOLOGIA PARA TODOS

BLOG QUE AJUDA A COMPREENDER A MENTE E OS COMPORTAMENTOS HUMANOS. CONSULTA-O E ESCREVE-NOS, FAZ AS PERGUNTAS E OS COMENTÁRIOS QUE QUISERES E COLABORA PARA MELHORAR ESTE BLOG. «ILUMINA» O TEU PRÓPRIO CAMINHO OU O MODO COMO FAZES AS COISAS…

RESPOSTA 23

Psicologia-BEm relação ao comentário

“Parece que está a dar muita importância à «modificação do comportamento».
Acha-a tão importante assim?”

feito por um anónimo no post PSICOLOGIA PARA TODOS – 9, vou tentar expor a minha ideia transcrevendo um dos capítulos do livro (F)

Interacção-B30TÉCNICAS DE MODIFICAÇÃO DO COMPORTAMENTO

As técnicas de modificação do comportamento, por si só, não servem de muito para quem as quiser manipular sem compreender bem o seu significado e o modo correcto e oportuno de as utilizar.

Por isso, é importante que se saiba quais são os momentos mais propícios e a dose para a sua aplicação, sendo imprescindível obter um feedback imediato e constante para reavaliar toda a situação, a fim de modificar a actuação conforme necessário.

neuropsicologia-BÉ mais vantajoso conhecê-las e não as utilizar, do que ser incapaz de as utilizar por desconhecimento ou ignorância, especialmente quando esses conhecimentos se conseguem adquirir com bastante facilidade. Vamos estar sempre à espera que as coisas «aconteçam» como uma fatalidade ou podemos orientar, dentro do possível, o curso do nosso destino?

Além disso, para sermos práticos e «económicos» na explicação das técnicas, podemos utilizar dois termos extremamente adequados que são, «manipulador»/«manipulado». Embora possam parecer pejorativos à primeira vista, substituem com muito maior precisão os vocábulos mais simpáticos, educador/educando, Saude-Bprofessor/aluno, mestre/aprendiz.

O «manipulador» é quem manipula as técnicas de modificação do comportamento, com um objectivo pré-determinado. O «manipulado» é aquele cujo comportamento é modificado através dessas técnicas. O mesmo acontece com o professor, educador ou mestre. Qualquer deles altera uma situação ao ensinar, admoestar, dar aulas, administrar conhecimentos e prática, isto é ao manipular a situação para que o aluno, o aprendiz ou o educando seja manipulado ou modifique a sua maneira de ser, pensar ou actuar num sentido pré-planeado pelo primeiro, mas vantajoso para o segundo.

Na modificação do comportamento, é adequado utilizar os vocábulos manipulador e manipulado para se designar, respectivamente, quem manipula as técnicas e quem fica com o seu comportamento modificado num sentido pré-planeado e desejado.

Para esclarecer melhor esta ideia, não é necessário dar um exemplo mais elucidativo de «manipulador» do que um recém-nascido. O bebé chora e a mãe vai logo dar-lhe o alimento ou o afecto que ele solicita através do seu choro. Satisfeita a sua necessidade, o bebé mostra-se bem-disposto. Que melhor reforço para a mãe! Se não obtiver este reforço, a mãe vai continua a tentar descobrir as necessidades do filho para as satisfazer e só descansa quando ele se mostra satisfeito. Esse filho é manipulador consciente ou inconsciente?

Eis uma manipulação completa do comportamento da mãe, sem malícia nem planeamento e mesmo sem conhecimento das técnicas de modificação do comportamento. A psicologia ensina-nos isto e é bom que a mãe, que também foi Maluco2criança, vá reaprendendo a manipular o comportamento do filho, sem se deixar resvalar, às vezes, mesmo que inconscientemente, para os braços da «chantagem» manipuladora do recém-nascido.

A moral ou a ética de quem está a agir, ficam ao critério de cada um, tal como acontece em qualquer outra situação. Com a divulgação de conhecimentos, o manipulador e o manipulado podem reagir conforme desejarem e lhes for possível. A não divulgação pode transformar um deles em detentor de conhecimentos que ao outro são negados. É por este motivo que se apresentam nos capítulos seguintes as informações sobre as técnicas de modificação do comportamento que, quase nunca se podem utilizar com exclusividade.

Já leu os comentários?arvore-2

Clique em BEM-VINDOS

Ver também o post LIVROS DISPONÍVEIS

É aconselhável consultar o ÍNDICE REMISSIVO
de cada livro editado em post individual.

Blogs relacionados:

TERAPIA ATRAVÉS DE LIVROS [http://livroseterapia.wordpress.com/]

PSICOLOGIA PARA TODOS (o antigo) [http://psicologiaparaque.blogspot.pt/]

Para tirar o máximo proveito deste blog, consulte primeiro o post inicial “História do nosso Blog, sempre actualizada”, de Novembro de 2009 e escolha o assunto que mais lhe interessa. Depois, leia o post escolhido com todos os comentários que são feitos. Pode ser que descubra também algum assunto acerca do qual nunca tivesse pensado.

Para saber mais sobre este blog, clique aqui.

Anúncios

Single Post Navigation

2 thoughts on “RESPOSTA 23

  1. Há dias, num dos programas de televisão, salvo erro, de manhã, fala-ram no amor dos pais e dos filhos. Contudo, no nosso grupo não conseguimos compreender bem aquilo que um senhor, julgamos que psicólogo, estava a dizer. Falou durante muito tempo mas a única coisa que compreendemos é que o amor entre pai e filha é diferente do amor entre os pais e entre mãe e filha. Falou também na identifi-cação que ficamos sem saber o que é.
    Pode dar-nos alguma explicação?
    CãoPincha

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: