PSICOLOGIA PARA TODOS

BLOG QUE AJUDA A COMPREENDER A MENTE E OS COMPORTAMENTOS HUMANOS. CONSULTA-O E ESCREVE-NOS, FAZ AS PERGUNTAS E OS COMENTÁRIOS QUE QUISERES E COLABORA PARA MELHORAR ESTE BLOG. «ILUMINA» O TEU PRÓPRIO CAMINHO OU O MODO COMO FAZES AS COISAS…

PERCEBER e/ou RESOLVER? (3ª continuação)

Acabei de receber um e-mail de um rapaz de 22 anos que dizia estar a namorar, desejava arrumar a sua Bibliovida e pedia-me que o ajudasse a tentar resolver os seus problemas de medos, que tinham começado a diminuir, mas que estavam a aumentar.
O ambiente em casa não era emocionalmente estável,  ficando a mãe
bastante desorientada porque os pais dela, já doentes, tinha piorado. A avó estava a degradar-se com uma doença incurável, não conseguindo reconhecer fosse quem fosse.

Ele já sabia fazer o relaxamento, tinha lido alguns livros necessários, mas sentia-se ligeiramente desorientado porque os seus sintomas persistiam.   

Perante esta situação em que eu não tinha mais elementos nos quais me pudesse apoiar, resolvi evocar um caso acontecido há
mario-70cerca de uma dezena de anos e ao qual dera algumas indicações para a resolução dos seus problemas.

Se já sabia fazer o relaxamento, o melhor era utilizar todas as noites, o momento de ir dormir para começar o relaxamento e recordar-se de determinados factos que lhe tinham acontecido para os resolver na sua imaginação.

Para isso, antes de tudo, tinha de ler os posts:
* Perceber e/ou Resolver?, de 30Abr2011
* Perceber e/ou Resolver? (continuação), de 1Mai2011Maluco2
* Resolver uma Dificuldade, de 2Mai2011
* Perceber e/ou Resolver? (2ª continuação), de 23Dez2011

No caso concreto, entre os 17 sintomas que ele tinha isolado, alguns persistiam e, passado cerca de ano e meio, tinham passado de 9,72, para 5,71, apesar de terem diminuído para 5,52 na escala de 11 pontos/conceitos. Por isso, seria bom utilizar essas dificuldades para tentar a sua resolução na imaginação como por exemplo:
. Subir as escadas até ao 4º andar para descer de elevador.Psicopata-B
. Viajar de comboio.
. Passear em Lisboa
. Tentar ir para sítios altos.
. Estar em sítios apertados e escuros.
. Olhar para as ambulâncias.
. Conversar com o pai e discutir a necessidade de tirar um curso superior, não tendo apetência para isso.

Já que ele tinha namorada, além de visualizar tudo isso na imaginação, relaxando a todo o momento, podia experimentar Psicologia-Bmuita coisa ao vivo, relaxando-se de seguida enquanto estava na companhia dela com quem podia viajar à vontade e visitar muitos locais.

O importante, era compreender perceber o mecanismo da resolução dos problemas para arrancar o mal pela raíz. Para isso, o treino era indispensável. E, quanto mais se treinasse, melhor poderia controlar toda a situação.

Além de dar as indicações neste post, decidi não enviar os links dos mesmos para ele poder passear pelo blog à vontade e ler qualquer outra coisa que fosse necessária.

Já leu os comentários?arvore-2

Clique em BEM-VINDOS

Ver também o post LIVROS DISPONÍVEIS

É aconselhável consultar o ÍNDICE REMISSIVO
de cada livro editado em post individual.

Blogs relacionados:

TERAPIA ATRAVÉS DE LIVROS [http://livroseterapia.wordpress.com/]

PSICOLOGIA PARA TODOS (o antigo) [http://psicologiaparaque.blogspot.pt/]

Para tirar o máximo proveito deste blog, consulte primeiro o post inicial “História do nosso Blog, sempre actualizada”, de Novembro de 2009 e escolha o assunto que mais lhe interessa. Depois, leia o post escolhido com todos os comentários que são feitos. Pode ser que descubra também algum assunto acerca do qual nunca tivesse pensado.

Para saber mais sobre este blog, clique aqui.

Anúncios

Single Post Navigation

2 thoughts on “PERCEBER e/ou RESOLVER? (3ª continuação)

  1. Fortunato on said:

    Estive a ver alguns dos artigos aqui publicados, especialmente os de “Envolvimento Familiar” e “Aconselhamentos” que já começaram há anos.
    Agora, deparei com os artigos “Perceber e ou Resolver” que parecem relacionar-se mais com os diversos medos que ainda tem o meu único filho de 20 anos.
    Arranja poucas amizades, mas com muita facilidade.
    Às vezes enfia barretes porque é muito ingénuo e os outros gozam com isso.
    Queria ver se conseguia ajudá-lo porque não tenho meios de o levar a um psicólogo particular que lhe dê apoio.
    Já foi a consultas de neurologia, psiquiatria e psicologia, do Estado, onde lhe deram muitos conselhos, com alguma medicação que o deixava meio sonolento.
    Achei melhor desistir, mas agora que vi o blogue e sei que posso fazer comentários com perguntas ou dúvidas, gostaria de obter algum apoio, se possível, porque ele arranjou um trabalho e eu queria que não o perdesse.
    O meu nome é Fortunato.

    • Estou no último de cinco dias de descanso. Quando estiver em minha casa, na segunda ou terça-feira, comprometo-me a ler tudo com cuidado e tentar dar uma resposta «possível».
      Entretanto, pode ir lendo os livros que estão recomendados nos diversos posts.
      Tem o fim-de-semana.
      Mário de Noronha

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: