PSICOLOGIA PARA TODOS

BLOG QUE AJUDA A COMPREENDER A MENTE E OS COMPORTAMENTOS HUMANOS. CONSULTA-O E ESCREVE-NOS, FAZ AS PERGUNTAS E OS COMENTÁRIOS QUE QUISERES E COLABORA PARA MELHORAR ESTE BLOG. «ILUMINA» O TEU PRÓPRIO CAMINHO OU O MODO COMO FAZES AS COISAS…

RESPOSTA 24

No comentário feito no post ACONSELHAMENTOS 2, respondi que iria transcrever, em dois posts, aAcredita-B

NOTA INTRODUTÓRIA

do livro ACREDITA EM TI SÊ PERSEVERANTE (B) para explicar como se pode
fazer uma autoterapia ou co-terapia e a razão porque de se tornar mais económica, mais acessível e confortável.

Este livro baseia-se sobremaneira na apresentação de algumas ideias expostas na conferência efectuada na Biblioteca Municipal Manuel Teixeira Gomes, de Portimão, em 6 de Fevereiro de 2004, intitulada A Psicoterapia pode ser mario-70
feita pelo próprio
?”

A possibilidade de obtenção da resposta à pergunta do tema exposto, criou a necessidade de intercalar outras quatro vertentes sectoriais: Quem? Como? Porquê? e Quando?

Apesar da exposição não ter durado mais de 25 minutos, as respostas às mais variadas perguntas subsequentes prolongaram-se no final dessa exposição por mais de uma hora e meia.

Com as respostas a todas estas questões, chegou-se à conclusão de que a psicoterapia feita pelo próprio ou, Bibliomais acertadamente, uma autoterapia, torna-se vantajosa, cómoda, económica e, às vezes, necessária, quando o interessado não tem possibilidade de obter, como acontece na generalidade, o apoio psicológico indispensável, nem disponibilidade de tempo ou de dinheiro para efectuar, na totalidade, uma psicoterapia convencional no consultório de um especialista.

Concluiu-se ainda que esta autoterapia serve para melhorar e acelerar uma psicoterapia convencional, assim como para a complementar ou suplementar, além de poder funcionar como profilaxia capaz de evitar futuras descompensações muito frequentes, «diagnosticadas», geralmente, como uma depressão ou «stress».Saude-B

No final das intervenções, um dos participantes «disparou», quase à queima-roupa:

Se a autoterapia é tão boa e necessária, qual é a maneira mais económica de a podermos efectuar?

A resposta dada levou-nos a pensar neste livro que também estava a ser implicitamente «exigido» pelo meu amigo Antunes depois da sua experiência pessoal baseada no prolongado «interrogatório» que me fez meses antes, no Verão, e Imagina-Bque deu origem à primeira parte do livro IMAGINAÇÃO ORIENTADA (J).

Das várias perguntas feitas pelos participantes durante esta intervenção, a ideia que em mim ficou gravada com mais intensidade, foi a de que muitas pessoas ainda se deixam iludir por uma série de livros de bom aspecto, talvez até com magnífico material de suporte audiovisual mas que não têm qualquer base científica. Os seus autores conseguem explorar emocionalmente o leitor para o cativar e deixar conformado com a «doença» de que sofre, embora possa seguir novos conselhos que, sem qualquer outra ajuda psicológica eficaz, funcionam como paliativos pouco benéficos. Não é isso que acontece também com algumas pessoas fanaticamente ligadas a várias seitas ditas religiosas? Nos relatos de acontecimentos ocorridos em várias partes do mundo, verifica-se que os adeptos destas seitas Maluco2ficam, muitas vezes, sem dinheiro e até sem a vida.

Além disso, quase todos estes autores de «auto-ajudas», alguns dos quais li por alto, engendrando conselhos, justificações e desculpabilizações que agradam ao leitor, parecem pretender deixá-lo na sua inteira dependência. Outros também conseguem incutir nos «descompensados» a ideia de que o seu mal se centra na falta de ginástica especial, dieta adequada ou rituais específicos, incentivando-os a fazer exercícios físicos ou a ter uma alimentação que, por si só, irá resolver toda a situação. Embora o controlo destas duas vertentes seja bom e desejável, a falta de alteração do modo de sentir, compreender, reagir, raciocinar e lidar com os outros, de quem se formou uma ideia pouco adequada, faz com que, muitas vezes, o «descompensado» não se sinta bem nem com o Psicopata-Bseu comportamento específico nem com a sua interacção familiar e social, sem que qualquer dos diversos intervenientes saiba o que deve fazer para modificar a situação.

Nestas condições, seguindo conselhos inadequados e investindo nas alternativas das quais se falou, os «descompensados» continuam a «perecer» perante o comportamento incomodativo que sempre os desagradou. Assim, com a desculpabilização obtida, essa pessoa fica à espera de que seja o resto do mundo a alterar o seu procedimento sem nunca imaginar que também faz parte desse mundo no qual mais alguém pode estar nas mesmas condições. Deste modo, ninguém dá o primeiro passo para alterar seja o que for, mas critica as outras pessoas, ficando à espera que elas se modifiquem.Consegui-B

Com esta atitude, ideia ou ideologia, nada se pode conseguir de benéfico. Sem a alteração do nosso comportamento, pouco ou nada se consegue modificar nos outros. Enquanto isto, o comportamento dos outros em interacção connosco, pode ficar degradado e prejudicar ainda mais toda a situação. Se a mesma for precária em relação ao equilíbrio psicológico ou mental, a falta de uma acção adequada, pode piorá-la ainda mais, sem falar também no equilíbrio psicológico do outro que também se pode degradar nas mesmas condições.

Continua na RESPOSTA 25.arvore-2

Já leu os comentários?

Clique em BEM-VINDOS

Ver também o post LIVROS DISPONÍVEIS

É aconselhável consultar o ÍNDICE REMISSIVO
de cada livro editado em post individual.

Blogs relacionados:

TERAPIA ATRAVÉS DE LIVROS [http://livroseterapia.wordpress.com/]

PSICOLOGIA PARA TODOS (o antigo) [http://psicologiaparaque.blogspot.pt/]

Para tirar o máximo proveito deste blog, consulte primeiro o post inicial “História do nosso Blog, sempre actualizada”, de Novembro de 2009 e escolha o assunto que mais lhe interessa. Depois, leia o post escolhido com todos os comentários que são feitos. Pode ser que descubra também algum assunto acerca do qual nunca tivesse pensado.

Para saber mais sobre este blog, clique aqui.

Anúncios

Single Post Navigation

One thought on “RESPOSTA 24

  1. Anónimo on said:

    Afinal, numa psicoterapia, nós temos de nos esforçar muito.
    O resto é treta.
    Não é como os medicamentos que trabalham, mas que também têm efeitos secundários como dizem os médicos.
    E não há medicamento que modifique o nosso comportamento ou pensamento no sentido que desejamos: para melhor.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: