PSICOLOGIA PARA TODOS

BLOG QUE AJUDA A COMPREENDER A MENTE E OS COMPORTAMENTOS HUMANOS. CONSULTA-O E ESCREVE-NOS, FAZ AS PERGUNTAS E OS COMENTÁRIOS QUE QUISERES E COLABORA PARA MELHORAR ESTE BLOG. «ILUMINA» O TEU PRÓPRIO CAMINHO OU O MODO COMO FAZES AS COISAS…

ACONSELHAMENTOS 6

Em relação ao comentário seguinte:Biblio

“Tenho um único filho que agora, depois de namorar uma jovem durante anos, deixou-a subitamente e apaixonou-se por outra.
Parece que com esta está a dar-se mal, não conseguindo eu saber porquê.
Ele diz para eu não me meter no assunto.
O meu marido é um pouco violento e também não nos damos muito bem.
Às vezes, as cenas entre nós não são muito pacíficas, mas o casamento tem durado duas dezenas de anos.mario-70
Haverá alguma coisa que possa fazer ou recomendar ao meu filho ou à jovem que ele namora agora e que também se queixa do feitio violento do meu filho?

vou insistir, antes de tudo, que leia todos os posts sobre Aconselhamento.

Como não tenho elementos suficientes para poder responder com maior precisão, não sabendo qual a razão do comportamento instável do seu filho, vou transcrever as páginas 70 a 76 do livro IMAGINAÇÃO ORIENTADA (J) que estou a rever neste momento e que se baseia essencialmente numa conversa entre mim e o meu amigo Imagina-BAntunes:

– Por que existe tanto ênfase na terapia familiar, quando somente uma criança ou um jovem se encontra «doente»?
– Em determinados casos, a criança pode ser um «sintoma duma doença familiar» da mesma maneira como a febre pode ser a indicação de uma infecção muito grave no aparelho digestivo, embora também se possa apresentar como indicativo duma simples constipação que desaparece em 24 horas com dois comprimidos de aspirina. No caso de infecção, a aspirina pode não ser a solução adequada e ajudar a aumentar a doença com o atraso que Psicologia-Bprovoca no reconhecimento da situação real, baixando pontualmente a febre. Se o insucesso escolar for causado por desavenças ou mal-estar na constelação familiar, o importante é melhorar essa interacção de modo a que a sua alteração provoque uma melhoria no sucesso escolar. Se em substituição desta interacção nos preocuparmos somente em reeducar as capacidades deficitárias da criança, esse treino pode melhorar temporária e artificialmente o sucesso escolar, mas não vai reduzir o mal-estar sentido em consequência da má interacção familiar (F/231-237). Deste modo, a criança, em vez de reduzir a sua tensão
através de respostas inadequadas conducentes ao insucesso escolar, pode procurar dar respostas alternativas que reduzam a sua frustração por não conseguir uma boa interacção familiar. Podemos ter assim respostas «deslocadas» Interacção-B30elacionadas com o consumo da droga, delinquência, neuroses, etc. (M), enquanto o sucesso escolar se mantém ou diminui ilusoriamente. É importante que os pais compreendam a situação e não vejam o insucesso escolar como uma consequência exclusiva de défices cognitivos ou psicomotores. Esta compreensão surge às vezes muito tardiamente quando os filhos estão irremediavelmente metidos na droga sem qualquer revés escolar anterior (F). Além da compreensão, é necessário que os pais aceitem ajuda para modificar o seu próprio comportamento em benefício duma situação que, depois de melhorada, pode trazer inúmeros benefícios (B).

– Então, achas que se deve facilitar a vida das crianças, dando-lhes todo o conforto?Joana-B
– Não é bem isso. Contudo, não é especificamente a pobreza, o conforto ou a austeridade na educação ou até a complacência dos pais que provocam só por si o desequilíbrio. Todo o ser humano gosta de afecto e de  segurança. Uma criança que seja educada através de normas consistentes, com carinho, que sinta segurança e que consiga ter, pelo menos nos pais e na restante família, apoio suficiente para crescer, desenvolver-se saudavelmente e sentir-se envolvida no ambiente familiar, dificilmente ficará desequilibrada, mesmo que os pais sejam relativamente austeros, pobres e de condição social pouco invejável. Se assim não fosse, nunca teríamos ricos com doenças mentais nem filhos de pobres, equilibrados e instruídos. Contudo, é imprescindível que a criança Acredita-Baprenda a ultrapassar dificuldades para estruturar a sua personalidade de maneira adequada.
“Vou dar um exemplo muito simples para comprovar o que digo. Uma mãe vai à consulta para saber se o seu filho deverá seguir uma determinada carreira a partir do 10° ano, quando o rapaz deseja dedicar-se exclusivamente à ginástica na companhia de outros amigos que se viciam na droga. Ao ouvir dizer que seria necessário estudar o caso avaliando a personalidade do filho, as suas motivações e interesses, a sua interacção com os pais e outros familiares, e as razões que o possam ter incentivado a ter o comportamento de desinteresse pelas aulas, a mãe mostra-se bastante frustrada e desconsolada em relação à psicologia. Neste caso, é necessário explicar-lhe que a sua interacção (do filho) com outras personalidades, só pode ser avaliada no contexto Consegui-Bglobal, isto é, observando o contacto íntimo que o filho tem com o seu meio ambiente imediato.
“Tudo isto demora muito tempo, especialmente quando se torna necessário desmistificar os mecanismos de defesa que as pessoas criam e que utilizam, normalmente, com base nos preconceitos sociais e ideias preconcebidas, como acontece também no caso dos traumatismos. Muitas vezes, essas falsas ideias e preconceitos são os principais responsáveis pela criação de situações anómalas, obrigando ao prolongamento e à multiplicação de sessões de aconselhamento que têm a finalidade de relacionar e aclarar os falsos conceitos acerca do comportamento humano. Situações destas podem redundar, muitas vezes, numa terapia menos económica do que a desejada, como acontecia com esta mãe, que se ia separar do marido. Porquê? Às vezes, até podem aumentar ou nunca ser resolvidas.”Saude-B

– Existe recuperação para os toxicodependentes?
– Supõe-se que sim, desde que se detectem as causas e se modifique o ambiente em que se iniciou o «vício». Porém, é extraordinariamente difícil alterar o meio ambiente, sendo ainda mais difícil fazer a análise
retrospectiva para detectar o momento e as causas da apetência para a droga, a qual se pode imbricar tanto na composição genética como na formação da personalidade, ou ainda nas condicionantes do ambiente familiar e social. Não se pode passar uma esponja e fazer desaparecer os traços deixados por uma vivência de vários anos em que se foramPsicopata-B formando conceitos, preconceitos, hábitos, etc. e se aprendeu a reagir de uma maneira peculiar aos estímulos que o meio ambiente proporciona (F/122). É muito mais difícil aprender uma língua estrangeira em adulto do que em criança e muitas pessoas não conseguem perder o sotaque peculiar da sua língua natal. Se uma coisa tão simples está arreigada deste modo nos nossos hábitos, como podemos perder, com facilidade, hábitos muito mais marcantes? É por isso que se insiste tanto na importância da «educação» a ser dada nos primeiros anos da vida do indivíduo.

– O que são sessões de aconselhamento e para que servem?
– O aconselhamento, que depende essencialmente do tempo e dos meios dispendidos para o efeito, serve-se de suportes Maluco2verbais, audiovisuais, psicodramáticos ou quaisquer outros para consciencializar o interessado, ajudando-o a analisar e a compreender a situação e a desencadear acções que contrariem as dificuldades sentidas ou que ajudem a melhorar o comportamento que não é considerado totalmente satisfatório. O aconselhamento efectua-se com a plena consciência do inte-ressado e sem relaxamento, como pode acontecer também numa psicoterapia. Estas sessões servem geralmente para responder a dúvidas que as pessoas possuem em relação à carreira escolar ou profissional, educação dos filhos, gestão de empresas, relacionamento social, etc. Infelizmente, algumas pessoas imaginam que podem expor um caso minuciosamente sob o ponto de vista do próprio e obter uma resposta imediata em relação à correcção ou incorrecção do seu comportamento. Quando a pergunta se refere ao comportamento do próprio, com dúvidas em relação à escolha da carreira ou outro facto objectivo não relacionado Depressão-Bcom a interacção humana, a resposta pode não ser difícil nem demorada, embora, para o bom acompanhamento da situação, tenha de ser dada, muitas vezes, em mais do que uma sessão. Contudo, se o aconselhamento se referir ao comportamento que é necessário ter com outras pessoas (pais, filhos, empregados, amigos, etc.), a necessidade de conhecer mais profundamente as diversas personalidades envolvidas nesse contexto, bem como muitas outras que podem influenciar a situação em si, faz com que a resposta seja demorada, podendo até exigir, como já disse, a realização de várias sessões com todos os intervenientes na situação, que deve ser estudada minuciosamente.

– Existe qualquer outra alternativa?Dificeis-B
– A resposta já foi dada anteriormente, mas vou sintetizá-la melhor. Para uma pessoa que ignora quase tudo acerca do comportamento, da psicologia, da psicoterapia ou da psicopedagogia, é conveniente frequentar sessões que se destinam aos pais, educadores, professores, terapeutas e efectuar muitas leituras destinadas a apreender os conhecimentos necessários acerca do modo como o comportamento se forma, se mantém ou se elimina. Os cursos são mais económicos do que as con-sultas, e os livros, muito mais. A etapa seguinte é procurar fazer ou treinar aquilo que interessa. Em caso de dificuldade, dúvida ou impossibilidade de aplicar alguns dos conselhos ou de utilizar o material ou equipamento disponível, podem realizar-se sessões de grupo nas quais, mais economicamente do que numa consulta isolada, se podem fazer treinos ou adquirir novos conhecimentos (B/117-129). Em Psi-Bem-Búltimo lugar, existe a consulta isolada, que é, geralmente, paga em função do tempo dispendido. Contudo, para poupar muitas consultas, nada melhor do que ler muitos livros bons para esclarecer certas dúvidas, eliminar preconceitos ou ideias preconcebidas e conhecer uma linguagem que é muito usada no aconselhamento psicológico.

– Existem quaisquer outros meios de divulgação da informação?
– As sessões de sensibilização destinam-se à divulgação de informações diversas que podem ajudar a formar conceitos correctos, desmistificar determinados preconceitos e clarificar situações que, de outro modo, conduzem a ideias absurdas acerca da vida, da sua especificidade e das naturais dificuldades que todo o ser humano tem de Neuropsicologia-B2enfrentar ao longo da sua existência.
“Quando se efectuam em grupo, com meios áudio-visuais, são um meio complementar económico para tentar equilibrar a personalidade e as relações interpessoais ou ajudar os próprios ou seus familiares e facilitar a reabilitação (B/117-124).
“Através destas sessões, cada um pode aprender a avaliar os seus problemas, a evitá-los em tempo oportuno ou a aprender a dar apoio psicoterapêutico ou psicopedagógico aos seus familiares, o que, às vezes, é necessário, mas difícil de se obter fora do ambiente familiar.
“Os pais podem assistir a sessões de sensibilização em que lhes são dadas noções que vão funcionar como incentivo para uma melhor actuação futura e uma maior capacidade de compreensão e apoio dos educandos.Organizar-B
“Estas sessões são uma maneira muito eficaz, expedita, económica e prática de cada um aprender a comportar-se de um modo adequado. Não servem, geralmente, para ajudar os outros. Porém, numa discussão, uma pessoa mais esclarecida pode ajudar outras que ainda não são conhecedoras das informações correctas.
“Além de tudo isto, também as publicações são outro meio de divulgar noções de psicologia e facilitar às pessoas interessadas o acesso a conhecimentos especializados, o que, de outra forma, seria difícil. O resumo ou a descrição sintética do modo como algumas pessoas melhoraram ou resolveram as suas dificuldades, ajuda outras a compreender o modo como poderão vir a actuar. Cada um pode tentar fazer uma autoterapia através de técnicas que já foram utilizadas e estão descritas de uma forma simples (B) (C) (E) (L) (M).Respostas-B30
“Também, através da leitura desses livros, as pessoas podem conseguir compreender os mecanismos do comportamento, efectuar uma acção profiláctica ou tentar ajudar os filhos ou pessoas conhecidas a resolver as suas dificuldades, quer comportamentais quer escolares, especialmente quando, por razões de localização, falta de tempo, escassez de recursos financeiros ou indisponibilidade de técnicos, não conseguem obter o apoio directo de um técnico especializado (E) (F) (G) (H) (I) (K) (L) (M).

Já leu os comentários?

Clique em BEM-VINDOSarvore-2

Ver também o post LIVROS DISPONÍVEIS

É aconselhável consultar o ÍNDICE REMISSIVO
de cada livro editado em post individual.

Blogs relacionados:

TERAPIA ATRAVÉS DE LIVROS [http://livroseterapia.wordpress.com/]

PSICOLOGIA PARA TODOS (o antigo) [http://psicologiaparaque.blogspot.pt/]

Para tirar o máximo proveito deste blog, consulte primeiro o post inicial “História do nosso Blog, sempre actualizada”, de Novembro de 2009 e escolha o assunto que mais lhe interessa. Depois, leia o post escolhido com todos os comentários que são feitos. Pode ser que descubra também algum assunto acerca do qual nunca tivesse pensado.

Para saber mais sobre este blog, clique aqui.

Single Post Navigation

5 thoughts on “ACONSELHAMENTOS 6

  1. Carmela on said:

    It’s really interesting to read this post, i read it completely now i interested to know more about it so hope you may add more information in your next post. i will enjoy that too.

  2. Natália on said:

    Quando fala em dificuldades escolares ocasionadas por desentendimentos familiares, tenho de perguntar se os mesmos podem ser determinantes do insucesso escolar.
    Na minha família, estou de mal com o meu marido por causa da família dele e, este ano, a minha filha chumbou no 6º ano quando nunca antes tinha perdido o ano.

  3. Thanks for taking the time to write, i never find time to write good posts. i really appreciate all the good information everyone has to share

  4. Clarisse on said:

    Awesome website to read, i like the concept taken in it.
    Clarisse

  5. What you’ve said makes sense, and i can understand it very clearly, thanks.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: