PSICOLOGIA PARA TODOS

BLOG QUE AJUDA A COMPREENDER A MENTE E OS COMPORTAMENTOS HUMANOS. CONSULTA-O E ESCREVE-NOS, FAZ AS PERGUNTAS E OS COMENTÁRIOS QUE QUISERES E COLABORA PARA MELHORAR ESTE BLOG. «ILUMINA» O TEU PRÓPRIO CAMINHO OU O MODO COMO FAZES AS COISAS…

BIRRAS

Como é um acontecimento que se verifica com muita frequência e aflige imensas pessoas que não sabem o que fazer, porqueJoana-Besse comportamento vai aumentando com o tempo, vamos preparar este post para dar alguma ajuda a quem, tal como o comentador, pode necessitar dela.

Um Anónimo fez o seguinte comentário, na origem deste post:

Ontem vi no comboio uma criança birrenta que chorava por tudo e por nada. A mãe mostrava-se desesperada com o comportamento da filha que chorava cada vez mais, à medida que a mãe a queria consolar.
O que poderia ser feito?Psicologia-B
Eu tenho uma filha de 5 anos que, de vez em quando, tem um comportamento semelhante.

Antes de tudo, temos de recomendar que leiam com muita atenção apenas o livro “JOANA, a traquina ou simplesmente criança?” (D). Exemplifica o modo fácil de resolver a situação que deu origem a que esse livro fosse elaborado com imensos exemplos.

Foram as birras e o mau comportamento da Joana que ocasionaram o desentendimento entre o casal, que voltou a conviver pacificamente e com gosto, depois de tudo isso ter sido rapidamente resolvido.Interacção-B30

Além disso, posso recomendar que leiam todos os posts deste blog relacionados com “BIRRAS” e “REFORÇO DO COMPORTAMENTO INCOMPATÍVEL”, assuntos que também estão detalhadamente tratados no livro PSICOLOGIA PARA TODOS (F).

A propósito disso, posso dar o exemplo dum acontecimento que se passou comigo há bem pouco tempo num grande supermercado.

Uma avó, minha conhecida, com dois netos de 6 e 4 anos estava a fazer compras, enquanto o mais novo estava no carrinho a Saude-Bchorar e a gritar para que a avó lhe comprasse um doce que lhe provocava alergias.

O choro não parava e a avó tentava consolá-lo e explicar-lhe que ele não podia comer esse doce. De cada vez que a avó intervinha para o acalmar e consolar, a criança gritava ainda mais e o irmão olhava para isso sem saber o que fazer.

A senhora estava desesperada com a situação, até que me viu, cumprimentou-me e disse:
– Já viu isto? Estou a tentar explicar ao Hugo que ele não pode comer esse doce por causa da alergia, mas a birra dele continua. Não sei o que hei-de fazer.Psicopata-B

Cumprimentei-a e aos netos enquanto o Hugo ainda continuava com a birra e fui puxando disfarçadamente o carrinho para outro lado, enquanto piscava um olho para a senhora e lhe perguntava pelo resto da família.
Depois, falando com o Hugo, disse-lhe que ele sabia gritar muito bem mas que era capaz de não conseguir controlar o choro.
Pedi-lhe para chorar mais alto. Quando ele aumentou o choro, pedi para ir baixando o tom até não se ouvir quase nada. Foi fazendo o que lhe tinha pedido. Uma vez sintonizado comigo, fui-lhe pedindo que repetisse a experiência várias vezes e elogiei-o pela sua capacidade de controlar a voz e o choro, o que é muito importante em casos Maluco2semelhantes. Entretanto, ia puxando o carrinho para outro lado enquanto a avó olhava para mim espantada.
Depois, disse ao Hugo que gostava de saber quanto tempo ele era capaz de deixar de chorar. Queria saber qual o controlo que ele tinha nisso e se era maior do que o controlo da força de gritar. O Hugo manteve-se calado enquanto eu olhava para ele, para mostrar que controlava a situação. Isto ajudou-nos a conversar sobre outras coisas, bem como sobre as actividades do irmão que também estava connosco.

Quando a situação ficou resolvida, muito longe do local dos doces, e a avó olhou para mim espantada, disse-lhe que estava com pressa para ajudar a minha mulher a fazer e a transportar as compras e informei que me podia telefonar à noite, se quisesse falar de mais alguma coisa. Naquele momento, eu estava com muita pressa.neuropsicologia-B

Quando à noite a senhora me telefonou para dizer que não sabia o que se tinha passado, nem compreendia porque o choro se tinha quase esvaído sem nada fazer, tive a oportunidade de lhe dizer que se tinha feito muita coisa. Em primeiro lugar, tinha sido utilizado o reforço do comportamento incompatível e, em segundo lugar, o comportamento de choro não tinha sido reforçado com as conversas simpáticas e explicativas que a avó estava a ter com ele.

O Hugo ainda não tinha capacidade intelectual para compreender as coisas de fazerem bem ou mal à sua alergia. O que ele Difíceis-Bsentia era mais importante e, naquele momento, o doce era o que mais gostaria de comer. Se com o choro, ele conseguisse levar avante o seu desejo, isso dar-lhe-ia gratificação, embora prejudicasse a saúde (mais tarde). Além disso, provavelmente, ele já tinha experiência de conseguir os seus desejos com um choro cada vez maior, ou gostava da atenção que a avó lhe proporcionava em momentos de choro e birra.

Disse-lhe que o meu relacionamento com a JOANA tinha começado por causa das suas birras que tinam afastado cada vez mais os pais, a ponto de se terem separado provisoriamente. Seria muito bom que a senhora lesse o livro da JOANA (D) assim como o da PSICOLOGIA (F). Com os variados exemplos dados em ambos, nas mais diversas situações, podia compreender muito daquilo que se tinha passado com ela e com o neto, sem ele se aperceber disso. Psi-Bem-CMas a situação tinha sido resolvida quase de imediato. Além disso, a consulta constante deste blog dar-lhe-ia uma compreensão melhor destes problemas do comportamento que afligem muita gente que, nos tempos actuais, embora deseje uma consulta de psicologia, não a pode ter por causa dos elevados custos que a mesma acarreta obrigando a repeti-la constantemente enquanto os pais não modificarem a sua maneira de ser e de agir.

Já leu os comentários?

Clique em BEM-VINDOSarvore-2

Ver também o post LIVROS DISPONÍVEIS

É aconselhável consultar o ÍNDICE REMISSIVO
de cada livro editado em post individual.

Blogs relacionados:

TERAPIA ATRAVÉS DE LIVROS [http://livroseterapia.wordpress.com/]

PSICOLOGIA PARA TODOS (o antigo) [http://psicologiaparaque.blogspot.pt/]

Para tirar o máximo proveito deste blog, consulte primeiro o post inicial “História do nosso Blog, sempre actualizada”, de Novembro de 2009 e escolha o assunto que mais lhe interessa. Depois, leia o post escolhido com todos os comentários que são feitos. Pode ser que descubra também algum assunto acerca do qual nunca tivesse pensado.

Para saber mais sobre este blog, clique aqui.

Anúncios

Single Post Navigation

2 thoughts on “BIRRAS

  1. Esta informação serviu-me bastante.
    Obrigada por tudo.

  2. Estou a utilizar com o meu filho o exemplo que deu neste artigo.
    Como pai separado já estava a ficar ligeiramente aflito.
    É pena não ter esse livro da JOANA à mão.
    De qualquer modo, obrigado pela ajuda.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: