PSICOLOGIA PARA TODOS

BLOG QUE AJUDA A COMPREENDER A MENTE E OS COMPORTAMENTOS HUMANOS. CONSULTA-O E ESCREVE-NOS, FAZ AS PERGUNTAS E OS COMENTÁRIOS QUE QUISERES E COLABORA PARA MELHORAR ESTE BLOG. «ILUMINA» O TEU PRÓPRIO CAMINHO OU O MODO COMO FAZES AS COISAS…

GOVERNAR «BEM» NÃO É FÁCIL ** (republicado)

Este post, publicado num domingo, em 22 de Fevereiro de 2009, no nosso antigo blog PSICOLOGIA PARA TODOS vai ser Psicologia-Brepetido pela sua oportunidade.

Não é fácil nem quer dizer «governar-se» bem.
Num comentário que fiz no blog Compincha disse que tinha lido com curiosidade o conteúdo do post CARNAVAL CENSURADO, de 21 FEV 2009 e que poderia fazer uma intervenção no meu blog, mas que não seria apenas sob o ponto de vista dum psicólogo.
Hoje (22Fev2009) voltei a consultar o blog e a ler outros posts sobre Milagreiros e Trapaceiros (19 Out 08), A Política Partidária (23 Out 08), A Governação Actual (25 Out 08), A Coerência (26 Out 08), O Pragmatismo Interacção-B30(28 Out 08), A Panela de Pressão (02 Nov 08), O Barraca e o Embuste (5 Nov 08), etc..
O assunto interessa-me bastante porque se enquadra na Psicologia Social que estou a leccionar no ISMAT (22Fev2009). É entusiasmante estudar e compreender os «digladiadores» políticos especialmente nos momentos de eleições e outros semelhantes. Mas a sua tentativa de manutenção do poder também é interessante.
O sociólogo francês Gustave Le Bon, na sua PSICOLOGIA DAS MULTIDÕES, bem dizia acerca destas, em princípios do século passado, que quaisquer que sejam os indivíduos que as componham, independentemente dos seus modos de vida, profissões, carácter ou inteligência, «perdem-se» na mesma e Saude-Bpraticam actos que isoladamente não seriam capazes de executar, parecendo que a multidão tem um «pensamento colectivo».” Também disse que o seu nível intelectual se situa abaixo do individual e que nos seus comportamentos exprime emoções de «seres primitivos».”
Isto terá a ver alguma coisa com os partidos políticos?

Por sua vez, Quirino de Jesus, conhecendo bem este livro diz que Quem, governa tem de aproveitar todas estas forças e manejar as alavancas do espírito público. Mas adverte que é preciso cuidado com o alcance prático a dar aos mitos para se não cair em ilusão perigosa e não iludir os outros.”Psicopata-B

Esta carta de que o referido post fala, foi escrita a Salazar pouco antes da morte do seu autor em princípios de 1935.
Quirino de Jesus era o principal ideólogo de Oliveira Salazar e aquele que mais o ajudou e incentivou a permanecer no Governo. Iniciando a vida política como deputado em 1921, Salazar não foi capaz de iniciar a sua actividade no Parlamento. O mesmo aconteceu em 1926, por causa das alegadas disputas e distúrbios sociais existentes no Governo, quando foi convidado para Ministro de Finanças do Governo de Mendes Cabeçadas. Posteriormente, em 1928, depois da consolidação da Ditadura Nacional iniciou-se como Ministro das Finanças continuando até 1940.Organizar-B
Com forte apoio do General Carmona, aprovação da nova Constituição de 1933, constituição da União Nacional e repressão de toda a oposição através da polícia política e da censura, foi continuando a sua governação até se tornar Primeiro-Ministro em 1940.
A sua influência política com poder legítimo no início, passou a ser exercida através do poder coercivo com o apoio da polícia política e da censura em permanente acção. Acerca disso, Quirino de Jesus, antes de morrer, tinha começado a vislumbrar alguns «desvios» na política e exercício de Salazar e já o advertia:

“Se me agrada tudo que crie um pouco de ideal, temo o desenvolvimento excessivo do poder publico que «Educar»-Bconsidero útil temporariamente, mas só num tempo curto. A censura é hoje um obstáculo á crítica constructiva. A pretexto de se eliminar a critica demolidora e mal dizente matou-se a critica fiscalizadora, fez-se o silêncio à sombra do qual medram as mediocridades. Já no poder se vê com maus olhos que tratem scientificamente certas questões só porque as conclusões da sciencia se não harmonizam com os prejuizos de quem manda. É o abuso do poder, que não tem controle. Isto é mal, é vicioso, desvirtua o espirito publico.

Como seria util estabelecer em bases concretas e acomodadas ás forças do pais o código regulador da censura!Maluco2

Como está, é o arbítrio do poder dos pobres homens que perdem noites a ler os jornais e a estragá-los muitas vezes. Há uma crítica constrictiva e moderadora dos impulsos hitlerianos de certos pequenos despotas.

Construir e moderar seria obra de boa imprensa. Estive dois dias no norte a ver escolas (25 e 26) e por lá encontrei casos que justificam o que acabo de dizer sobre a imprensa.”

Em Psicologia Social, Salazar aproveitou bem as forças e manejou as alavancas do espírito público mas não Difíceis-Bteve o cuidado necessário com o alcance prático a dar aos mitos, para se não cair em ilusão perigosa e não iludir os outros.
Foi assim que conseguiu «minar» a obra de consolidação económica e social iniciada nos primeiros anos da sua governação.

Com a «falta» de Quirino de Jesus, pouco tempo mais durou o bom senso necessário a um governante que deseja ser sério e não falacioso como os muitos que nos aparecem pela frente ao longo da história. Se houvesse outros «Quirinos» que o ajudassem a pensar na influência social e poder social de que ele dispunha e necessitava para a sua governação ou para a passagem do testemunho a outras pessoas «mais jovens e competentes e Psi-Bem-Cmenos preconceituosas» talvez não tivéssemos chegado tão rapidamente à cauda da Europa onde podemos continuar por longos anos se a educação e a instrução continuarem a ser tão menosprezadas e vilipendiadas como até agora.
Bastava apenas ter relido, com cuidado e concentração, o período da carta de Quirino de Jesus (destacado a negro) para verificar que em 1934, os desvios já tinham começado e estavam a ser evidentes até nas escolas onde se desenvolve prioritariamente e com facilidade toda a formação científica, moral e cívica dos cidadãos de qualquer país e, especialmente, dos que serão os futuros governantes.

Quase sempre, a ignorância é muito oportuna e favorável para «enganar» também os incautos.Consegui-B

E em terras de «Chico esperto» ainda mais!
Para quê servem os comícios, às vezes, com «comes, bebes e divertimentos»? Porquê os discursos «inflamados» dos candidatos em vez duma «exposição» serena dos seus pontos de vista, propostas e pretensões? Para quê as «palhaçadas» que alguns fazem, anos a fio, para continuarem no poder talvez ainda mais do que aqueles que os próprios consideraram como «fascistas»? Se não podemos «confiar» nas multidões, como poderemos confiar naqueles que as manipulam a seu favor? A FNAT, as Casas do Povo e o futebol serviram para muito: “com papas e bolos se enganam os tolos.”Imagina-B

Em Psicologia Social, especialmente os «fazedores de imagem» destes políticos, conhecem muito bem os efeitos do reforço do comportamento incompatível, comunicação, halo, boatos, atribuição, atitude, primazia, frustração, conformismo, facilitação social, dissonância cognitiva, etc. e «manipulam» tudo a seu favor tal como os vendedores de automóveis, imobiliário e cosméticos.
O importante em tudo isto e para reverter a situação, é o público em geral ser suficientemente instruído e autónomo para poder resistir aos constantes «ataques» que lhe são feitos a todo o momento nos meios de comunicação social e promocionais.Acredita-B
Essa instrução não foi nem tão pouco é facilitada e implementada pelo poder político.

Já leu os comentários?

Clique em BEM-VINDOS

Ver também o post LIVROS DISPONÍVEIS

É aconselhável consultar o ÍNDICE REMISSIVOarvore-2

de cada livro editado em post individual.

Blogs relacionados:

TERAPIA ATRAVÉS DE LIVROS [http://livroseterapia.wordpress.com/]

PSICOLOGIA PARA TODOS (o antigo) [http://psicologiaparaque.blogspot.pt/]

Para tirar o máximo proveito deste blog, consulte primeiro o post inicial “História do nosso Blog, sempre actualizada”, de Novembro de 2009 e escolha o assunto que mais lhe interessa. Depois, leia o post escolhido com todos os comentários que são feitos. Pode ser que descubra também algum assunto acerca do qual nunca tivesse pensado.

Para saber mais sobre este blog, clique aqui.

Anúncios

Single Post Navigation

2 thoughts on “GOVERNAR «BEM» NÃO É FÁCIL ** (republicado)

  1. Anónimo on said:

    “Depois de ver as intervenções no facebook, li com atenção o seu artigo “Governar «BEM» não é fácil”, publicado em 22 de Fev de 2009 e repetido agora, em 2012, por achar necessário.
    Isto parece querer dizer que a governação do momento envereda por um caminho errado, que já se verifica agora com muito mais acuidade.
    Apesar dos inúmeros avisos de quase todos os partidos políticos, parece que a inflexibilidade, a insensatez, a incompetência e o bom senso não são uma arma deste governo que se diz democrático e que é apoiado pelo presidente da república contra todas as forças vivas do país que tentam protestar e demonstrar os erros que estão a ser cometidos.
    Não existe alguma coisa que se possa fazer em reverter a situação?
    Agradecia que nos desse uma dica sobre o assunto.
    Agradeço antecipadamente,
    Anónimo”

  2. Mário de Noronha on said:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: