PSICOLOGIA PARA TODOS

BLOG QUE AJUDA A COMPREENDER A MENTE E OS COMPORTAMENTOS HUMANOS. CONSULTA-O E ESCREVE-NOS, FAZ AS PERGUNTAS E OS COMENTÁRIOS QUE QUISERES E COLABORA PARA MELHORAR ESTE BLOG. «ILUMINA» O TEU PRÓPRIO CAMINHO OU O MODO COMO FAZES AS COISAS…

PREVISÃO

A Psicologia Social ajuda-nos a fazer previsões que podem ajudar a melhorar o futuro. Mas, como parece que, em Portugal, se Organizar-Bfazem previsões para o piorar, apeteceu transcrever as páginas 18 a 20 dum novo livro – “COMPORTAMENTO NAS ORGANIZAÇÕES” (N) – que está a ser elaborado a partir de outros aois mais antigos.

Viva o Carnaval!

Em 1993, o Primeiro-ministro português cancelou peremptoriamente a tolerância de ponto na terça-feira de Carnaval, contrariando uma tradição de séculos e chocando a maior parte dos cidadãos que estavam sobejamente habituados a foliar até mais do que neste dia e a utilizar este período do ano para extravasar a sua ansiedade e Interacção-B30necessidade de crítica, podendo exagerar nos comportamentos.
Todos conhecem a resposta que essa proibição provocou. O País correu a três velocidades: devagar, parado e marcha-atrás. No ano seguinte, surgiu uma tolerância dada quase em cima da hora. Porém, em 1995, ano de eleições, a tolerância foi assinada com quase um mês de antecedência. Os acontecimentos ocorridos nos anos iniciais poderiam ter sido evitados ou, pelo menos, deveria ter-se evitado o «escândalo» flagrante da antecipação no ano de 1995. Até 2012, ainda nada se aprendeu com estes acontecimentos?

Enquadrando estes factos típicos na teoria organizacional, não sabemos se definiremos os procedimentos ministeriais como «falha organizacional», «esperteza saloia», «olho vivo» ou «Chico esperto». Qualquer que seja a designação dada, é bom que Psicologia-B«os gestores da nação» se lembrem que o povo não é tão «parvinho» e medroso como era há uns bons cinquenta anos ou mais, apesar de ninguém lhe ter aumentado substancialmente a instrução, nem em quantidade nem em qualidade.

Assim vai a Justiça

Há cerca de quinze anos, quando uma jovem atravessava uma passadeira para peões e estava quase no fim da mesma, foi atropelada por um motociclista adolescente, paquete duma firma. Apesar de todo o trânsito estar parado, o motociclista resolveu avançar sem se preocupar com quem atravessava a rua. A jovem caiu, teve ferimentos na face, Psicopata-Bbraços e pernas, danificou as roupas e ficou sem poder trabalhar durante um mês. Sendo assistida no hospital, teve alta no mesmo dia e foi tratada a seguir em regime ambulatório. Queixou-se, posteriormente, de dores nos locais (joelho e cotovelo) onde sofreu lesões.

O adolescente não teve quaisquer ferimentos, mas a moto ficou ligeiramente danificada. A Polícia registou a ocorrência e os danos provocados. O seguro foi devidamente informado, mas achou que não devia pagar mais do que as despesas do hospital, apesar de o condutor se ter declarado culpado e haver uma testemunha ocular do acidente, que parou a sua viatura para deixar passar a jovem.

Como crime semipúblico, o Ministério Público devia fazer correr os trâmites normais até ao julgamento, ocasião em que a Acredita-Bjovem pediria as indemnizações a que se julgava com direito. Porém, uma amnistia absolveu o crime e o processo foi arquivado sem que a Justiça se preocupasse com as indemnizações.

Apresentada uma queixa no Cível, o juiz resolveu exigir que a queixosa provasse ter sido atropelada e sofrido prejuízos, apesar de tudo estar devidamente registado e documentado no processo inicialmente elaborado. Tudo isto num processo de acidente de viação em que existe uma infracção e danos corporais, materiais e psicológicos. Passados vinte anos alguma coisa mudou?

Surgiu posteriormente um ministro que, para melhorar o sistema, modificou o Código da Estrada, fazendo supor que a simples Consegui-Bpromulgação da legislação é o suficiente para evitar estas falhas organizacionais. Tudo o que aconteceu não foi porque os «instrumentos» com que os «técnicos» trabalhavam eram maus. Foi porque os técnicos não utilizaram devidamente os instrumentos que tinham ao seu dispor – «entrada» (input) – para a resolução dum problema –«saída» (output) –, ocasionando uma falha organizacional que nos aflige a todos no nosso dia-a-dia.

Aplicando a legislação antiga, provado que estava o facto do atropelamento e dos danos materiais e morais sofridos, competia à Justiça dosear e aplicar a pena sem deixar que a companhia de seguros continuasse a não cumprir o que devia desde o início. Não havendo inibição de condução ou sanção de espécie alguma para o adolescente, que não Maluco2teve o cuidado necessário no cumprimento das normas e no domínio do veículo, o próprio sistema passou a ajudá-lo a ter «reforço» com o seu comportamento de incúria na condução, enquanto também «reforçou» a seguradora pelo não cumprimento das suas obrigações.

Neste caso, a «falha organizacional» que provocou uma má «saída», deve-se essencialmente à má adequação da «entrada» para a «saída» desejada. E quando se fala na «entrada» faz-se referência tanto aos «instrumentos» (leis em vigor) como aos «técnicos» (pessoas treinadas, com vontade e aptidão para as aplicar) visando obter a «saída» pretendida (justiça que sirva para melhorar a vida social, evitando os abusos ou as incúrias de uns em desfavor de outros).neuropsicologia-B

Não foi necessário demorar mais do que um mês para verificar que a conclusão a que tínhamos chegado estava certa. O incidente repetiu-se, sendo desta vez mais grave porque, além de envolver fracturas no próprio condutor, ocasionou danos maiores noutra pessoa e destruição do motociclo. E assim vai o nosso país, onde nem a Justiça ajuda, a não ser…!

Já leu os comentários?

Clique em BEM-VINDOSarvore-2

Ver também o post LIVROS DISPONÍVEIS

É aconselhável consultar o ÍNDICE REMISSIVO
de cada livro editado em post individual.

Blogs relacionados:

TERAPIA ATRAVÉS DE LIVROS [http://livroseterapia.wordpress.com/]

PSICOLOGIA PARA TODOS (o antigo) [http://psicologiaparaque.blogspot.pt/]

Para tirar o máximo proveito deste blog, consulte primeiro o post inicial “História do nosso Blog, sempre actualizada”, de Novembro de 2009 e escolha o assunto que mais lhe interessa. Depois, leia o post escolhido com todos os comentários que são feitos. Pode ser que descubra também algum assunto acerca do qual nunca tivesse pensado.

Para saber mais sobre este blog, clique aqui.

Anúncios

Single Post Navigation

One thought on “PREVISÃO

  1. Este poste ajudou-nos a compreender mais alguma coisa e lembrar factos de que me tinha esquecido. Obrigado.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: