PSICOLOGIA PARA TODOS

BLOG QUE AJUDA A COMPREENDER A MENTE E OS COMPORTAMENTOS HUMANOS. CONSULTA-O E ESCREVE-NOS, FAZ AS PERGUNTAS E OS COMENTÁRIOS QUE QUISERES E COLABORA PARA MELHORAR ESTE BLOG. «ILUMINA» O TEU PRÓPRIO CAMINHO OU O MODO COMO FAZES AS COISAS…

AUTOTERAPIA-14

Tinha ido hoje ao hipermercado, fazer compras com a minha mulher e estava a dar um golpe de vista pelos diversos livros Saude-Bexpostos, sem me interessar por qualquer deles, quando uma pessoa minha conhecida há muito, aproximou-se de mim com um livro na mão e disse:

Dr. Noronha. Já viu este livro?
Era um livro intitulado «MINDFULLNESS» da Lua de Papel, escrito por um especialista inglês, que custava cerca de 14€ e que prometia uma diskette ou coisa parecida para ajudar a pessoa a fazer o exercício. Também me parece que garantia que, com uma prática de algumas semanas, muitos problemas de depressão poderiam ser resolvidos, tal como se estava a fazer agora no Reino Unido.mario-70

Olhei vagamente para o livro e pareceu-me que tinha muitos conselhos que era preciso ler e utilizar para o bom efeito duma determinada técnica que poderia conduzir à meditação posterior.
Vendo que eu nada dizia quanto ao livro, continuou:

− Sabe que estou a seguir o seu blogue e que já li muitos artigos seus, especialmente relacionados com a AUTOTERAPIA e BIBLIOTERAPIA? Os últimos, despertaram-me bastante interesse. Além disso, também fui adquirir a Revista «Saúde  Actual». Tive pena que o seu artigo sobre este assunto não tivesse o devido relevo nessa revista. Li  Bibliotambém na internet, no [academia.edu], o seu artigo sobre SELF-THERAPY e gostei dele mais do que deste livro que tem agora nas mãos. Quando é que vai publicar o seu livro sobre AUTO{psico}TERAPIA (P)?
− Não sei. Necessito de dinheiro para fazer uma edição muito restrita e, se não tiver uma aquisição garantida de pelo menos 50 exemplares, não vou avançar. Os tempos não estão para gastos supérfluos e para fazer o que fazíamos nos anos 80 e 90 no Centro de Psicologia Clínica.

− Mas, pode dizer-me alguma coisa sobre este livro que tem nas mãos?
− Não posso dizer muita coisa a não ser que os americanos que contactei por causa de livros semelhantes  publicados por eles, assediam-me com constantes emails a convidar para os congressos deles,  querendo que elogie o que eles fazem. A Psicologia-Bminha resposta tem sido sempre dizer-lhes que estou a preparar e actualizar a colecção de 17 + 1 livros da BIBLIOTERAPIA que serve para a psicoterapia, psicopedagogia, interacção social e desenvolvimento pessoal, com pouca ajuda do psicólogo.
“Parece-me que é uma faceta que não lhes interessa porque preferem os coachings e os workshops que «rendem» alguma coisa a quem os faz e onde podem «impingir» os seus livros…. e não sei se ideologia também. Também lhes disse que a autoterapia, muito mais profunda, fácil, económica e útil, pode ser praticada por cada um em sua casa, durante 4 semanas ou menos, à hora de dormir, durante uma hora, para continuar, com um dispêndio máximo de 15 minutos diários, à hora de dormir, atingindo bons resultados, palpáveis e eficazes.Interacção-B30

Isso compreendi eu quando li os seus artigos. E as pessoas poderão praticar com facilidade tudo o que lá diz?
− Não sei se conseguirão. Mas, a partir de 1973 e, especialmente, a partir de 1974, eu consegui praticar, com muito mais facilidade, quase tudo que está estipulado no livro. Também era uma neurose depressiva reactiva grave que passou para segundo plano à medida que me fui integrando na psicoterapia. Posteriormente, o Júlio (E), em 1980, deu-me a satisfação de resolver a sua depressão com cerca de 120 horas de conversa e prática à mesa dum café, muita leitura e treino em casa, à hora de dormir. O Antunes (B), com algumas conversas e muitas leituras, conseguiu resolver o seu problema de depressão grave. Nenhum deles necessitou de qualquer música, palavreado, posição, Maluco2alimentação ou ritual específico. Posteriormente, a Cidália (C) também resolveu o seu problema de depressão, alcoolismorelações sexuais promíscuas, com algum apoio, mas com a prática do muito que se diz na AUTOTERAPIA e leituras complementares. Mas, teve de analisar as causas dos seus problemas. Isso só se pode fazer na «cabeça» de cada, nem que seja com alguma ajuda, mas muito trabalho do próprio, o qual é imprescindível.

Acha que essas leituras são importantes? Não seria melhor um aconselhamento?
− Posso dizer-lhe que, para as pessoas que nunca se habituaram a imaginar que no nosso país se pode fazer mais do que lá fora Acredita-Be, às vezes, melhor e que também já se faz há mais tempo, deve ser necessário dar algumas explicações, fazer uma demonstração e responder às dúvidas, tal como me aconteceu nas aulas dos enfermeiros nos anos 80 do século passado. Contudo, esses enfermeiros também tiveram de ler alguma coisa nos apontamentos que eram dados nas aulas. Sem saber como funciona o comportamento humano, isoladamente e em sociedade, é difícil «encaixar» o que se diz da autoterapia ou qualquer outra técnica. O resultado disso, é a pessoa seguir apenas os procedimentos com automatismo e sem a utilização da «cabeça» que é o «aparelho» fundamental. As ideias têm de ser alteradas, racional e conscientemente e não apenas emocionalmente. Baseamo-nos apenas nas acções e não na sua Consegui-Borigem ou naquilo que as comanda → o cérebro ou a mente. Ler os «casos» dos outros e saber como os resolveram ajuda ainda mais.

Mas, para isso, seria necessário haver algumas palestras…
− Não sei se reparou que tanto no post sobre «Proposta de Colaboração» como no «o ANTES e o DEPOIS», estou a propôr isso. Já me ofereci para fazer essas palestras, mas a CMS «não atou nem desatou». Estou à espera que as pessoas interessadas, e que podem ser imensamente beneficiadas com isso, sejam capazes de promover ou exigir das entidades responsáveis algumas acções nesse sentido.

Estou a lembrar-me das Universidades para a gente sénior, das Juntas de freguesia, da Misericórdia, das diversas Psi-Bem-Bcolectividades, das Bibliotecas, etc. que poderiam promover actividades deste tipo.
− Julgo que é isso que falta. Nós promovemos isso antigamente no Centro de Psicologia Clínica, com o apoio da Junta de Freguesia e da Escola Preparatória. Mas agora, não vou ser eu a propôr. Eu colaboro, mas não desejo propaganda nem publicidade. Contudo, sei que, numa sociedade como a nossa, isso é indispensável. Mas, quem fizer essa promoção, vai querer tirar benefícios para si. Basta ver os nossos políticos. Eu sei que aquilo que estou a propôr e a fazer desde 1974 e, especialmente, desde 1980, é melhor do que aquilo que se começou a fazer no Reino Unido, apenas nos princípios deste século. Os livros, com os diversos casos já publicados e por publicar, podem dizer o modo como tudo se processou e se pode continuar a fazer cada vez melhor. Se as pessoas quiseram,Dificeis-B que se «mexam». Eu colaboro de muito boa vontade para obter a satisfação de ter conseguido ajudar alguém naquilo que posso e ainda sei fazer. Leu aquilo que o «Calimero» (M) disse a meu respeito, quando veio esporadicamente a Lisboa e que está transcrito no último post da Biblioterapia? É o resultado da sua autossuficiência, independência e capacidade de reacção autónoma em caso de necessidade e emergência. Não necessita de mentores nem de guarda-costas, nem fica depentente de psicoterapeutas, drogas ou conselhos dos outros. Começa a pensar com a sua cabeça, que deve indicar aquilo que ele deve fazer. Ele não passava o 12º ano durante 3 anos ou mais, mas, apesar de não ter feito muito do que está «prescrito» na AUTOTERAPIA», conquistou uma licenciatura em 3 anos, com óptima média e emprego quase garantido. É exactamente isso que pretendo e tenho conseguido em quase mais de 90% dos casos. O importante é a colaboração do próprio, com algum treino e leitura para a apreensão das ideias que vou expondo nos diversos livros. E se cada um aprender a fazer isso sem ajuda?Depressão-B

É pena que o seu projecto não avance e que fiquemos quase sempre no fim da linha dos mais desenvolvidos.
− Também tenho pena, mas não vou fazer mais nada a não ser a tentativa de divulgação das minhas ideias. Quem quiser que colabore comigo. Posso garantir que, se com as primeiras duas palestras conseguir melhorar apenas um pouco a vida de 10% dos presentes, fico satisfeito. Isso quer dizer que não terão de se sujeitar a medicamentos alienantes ou despender tempo, dinheiro e paciência em consultas, às vezes improdutivas. O «Calimero» também foi «acompanhado» e apoiado durante muitos anos e não passou da cepa torta. Até à próxima e obrigado pelo feedback que me deu. A minha mulher deve estar já à minha espera. Às tantas, julga Psicopata-Bque me perdi…

Para facilitar ainda mais a compreensão de todo este arrazoado de ideias e atendendo também aos comentários, sugestões, críticas e pedidos de esclarecimento feitos ao longo do tempo, espero que vá existir em 2017 um novo livro «PSICOTERAPIA… através de LIVROS…» (R) que elucide e oriente os interessados de uma maneira muito precisa, de acordo com os seus interesses e situação específica,  completando a colecção da Biblioterapia com 18 unidades.

Em divulgação…
Consultou todos os links mencionados neste post?

Já leu os comentáriosVisite-nos noFacebook.

Clique em BEM-VINDOS

Imagina-BVer também os posts anteriores sobre BIBLIOTERAPIA

É aconselhável consultar o ÍNDICE REMISSIVO de cada livro editado em post individual.

Blogs relacionados:

TERAPIA ATRAVÉS DE LIVROS para a Biblioterapia

PSICOLOGIA PARA TODOS (o antigo)

Para tirar o máximo proveito deste blog, consulte primeiro o post inicial “História do nosso Blog, sempre actualizada”, de Novembro de 2009 e escolha o assunto que mais lhe interessa. Depois, leia o post escolhido com todos os comentários que são feitos. Pode ser que descubra também algum assunto acerca do qual nunca tivesse pensado.

Para saber mais sobre este blog, clique aqui.

 

Anúncios

Single Post Navigation

2 thoughts on “AUTOTERAPIA-14

  1. Conhecido de ontem on said:

    Sr. Dr. Noronha
    Como ontem não tivemos tempo de continuar a conversa, há duas perguntas que gostaria de ver bem esclarecidas.
    – Qual a razão da sua preocupação em tentar dizer que todos os comportamentos têm a possibilidade de serem modificados descobrindo as suas causas?
    – Qual a razão de não se utilizar a psicanálise para isso, já que se faz uma análise do passado?
    Faço estas perguntas em comentário porque diz que não gosta de e-mails. Por causa disso e porque posso não o ver tão cedo, como normalmente tem acontecido, faço este comentário.
    Cumprimentos.
    Conhecido de ontem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: