PSICOLOGIA PARA TODOS

BLOG QUE AJUDA A COMPREENDER A MENTE E OS COMPORTAMENTOS HUMANOS. CONSULTA-O E ESCREVE-NOS, FAZ AS PERGUNTAS E OS COMENTÁRIOS QUE QUISERES E COLABORA PARA MELHORAR ESTE BLOG. «ILUMINA» O TEU PRÓPRIO CAMINHO OU O MODO COMO FAZES AS COISAS…

ESCOLA / CONFLITOS – 3

O QUE É O CONFLITO?escol-conf-c

Todas as acções, comportamentos ou até acontecimentos, provocam, geralmente, uma reacção, que tanto pode ser de indiferença como de agrado ou desagrado. Porém, o estímulo que provoca respostas antagónicas, incompatíveis ou divergentes, faz nascer o conflito.

Verificou-se em situações experimentais, aplicando gratificações e punições, que cães conseguiam distinguir duas figuras, uma triangular e outra quadrada. Porém, quando os mesmos animais eram colocados perante a situação de distinguir figuras muito semelhantes entre si (circunferência e elipse), sendo bastante difícil fazer a distinção, o animal ficava emocionalmente instável, com incapacidade de resposta adequada e um comportamento de fuga em relação à situação experimental (prémio se acertasse e castigo se não acertasse e, posteriormente, castigo em quaisquer circunstâncias).

Jones e Gerard (1967) consideram o conflito como “estado em que um indivíduo se encontra Interacção-B30quando está motivado a dar duas respostas incompatíveis entre si“.
Raven a Kruglanski (1970) dizem que o conflito também pode ser considerado como “tensão entre duas ou mais entidades sociais (indivíduos, grupos ou organizações) ocasionada pelas respostas dadas ou pela preparação para as mesmas.

Segundo Worchel e Cooper (1976), o conflito pode ser:
◊ interpessoal, quando tem lugar entre duas ou mais pessoas;
◊ intrapessoal, quando se desenvolve dentro do mesmo indivíduo;Psicologia-C

Contudo, outras investigações em organizações e empresas indicam que existe conflito:
◊ intergrupal, quando é ocasionado entre grupos de pessoas;
◊ intragrupal, quando se instala dentro do próprio grupo;
◊ interinstitucional e intrainstitucional, quando envolve instituiçöes e se instala, respectivamente, entre ou dentro das mesmas.

Coffer e Appley (1964), apresentam 5 características básicas no conflito que é tanto maior quanto mais atraente for o objectivo, neuropsicologia-Bestímulo ou alvo:
1ª – existem gradientes de aproximação e de afastamento;
2ª – quer a tendência de aproximação, quer a de afastamento, aumentam à medida que o indivíduo se aproxima do objectivo ou estímulo;
3ª – tanto a  tendência de aproximação como a de afastamento variam directamente em relação à força de pulsão que as motiva;
4ª – o gradiente de afastamento torna-se maior do que o da aproximação, aumentando mais rapidamente com a proximidade do alvo (objectivo ou estímulo);Saude-B
5ª – quando duas respostas incompatíveis estão em conflito, a mais forte tem possibilidades de prevalecer.

O conflito intrapessoal pode provocar tamanha tensão (stress) que é capaz de pressionar o indivíduo, obrigando-o a alterar as suas cognições e atitudes com a finalidade exclusiva de reduzir o grau de pressão a que estiver sujeito. Este ponto é a variável mais importante salientada na discussão dos diversos «casos» apresentados. Ela provoca comportamentos pouco adequados que se podem evitar se o indivíduo tiver conhecimento dos mecanismos subjacentes às diversas situações conflituais.Imagina-B

Segundo a teoria de Lewin, aperfeiçoada posteriormente por Miller (Worchel e Cooper, 1976), o conflito, de acordo com as respostas ou reacções que provoca pode ser de quatro tipos:
aproximação – aproximaçäo,
afastamento – afastamento,
aproximação – afastamento,
dupla aproximação – afastamento.Difíceis-B

No conflito aproximação-aproximação o indivíduo tem de escolher a resposta que fôr mais adequada para o momento, não demorando muito na sua decisão. Por exemplo, a um aluno que se esforçou muito no último trimestre, vamos dar no final do ano mais um meio valor ou chamá-lo expressamente à escola para o elogiar?
No conflito afastamento-afastamento, o indivíduo tem de escolher entre duas situações desagradáveis. A decisão será mais demorada do que a anterior, podendo o indivíduo demorá-la tanto quanto possível, para a resolução do conflito. Por exemplo, mandamos sair da aula ou escrevemos uma carta aos pais chamando a atenção para o sucedido quando um aluno, maltratado em casa, se porta mal na aula?Consegui-B
No conflito aproximação-afastamento, o indivíduo tem de escolher entre aproximar-se ou afastar-se de um alvo que é, ao mesmo tempo, atraente e prejudicial. Expulsar da sala de aula, por castigo, um aluno que se comporta mal mas que tem dificuldades na aprendizagem, é fazer com que ele aprenda ainda menos. Deixá-lo continuar na sala a comportar-se mal pelo facto de ter dificuldades de aprendizagem, não havendo qualquer tipo de actuação do professor, é deixar aumentar o seu mau comportamento. Estes conflitos levam mais tempo a ser resolvidos porque exigem uma ponderação bastante grande das consequências das acções a tomar.
O conflito de dupla aproximação-afastamento exige que o indivíduo se decida entre dois alvos, cada um dos quais apresenta Acredita-Bpontos positivos e negativos. Por exemplo, será vantajoso expulsar da escola os alunos que são delinquentes ou se drogam ou devemos mantê-los em regime adequado? Caso sejam expulsos, a fim de que as aulas possam ser proveitosas para os alunos aplicados, esses alunos-problema poderão provocar mais expulsões para se dedicarem ainda mais à droga e à delinquência causando graves problemas sociais. Caso não sejam expulsos, apesar de existir a vantagem de não se dedicarem à droga e à delinquência nesses momentos, poderão viciar os restantes alunos. Como não existem possibilidades de absorver todos esses indivíduos em instituições adequadas, a decisão é extremamente difícil, obrigando a tomar em conta todas as eventualidades, exigindo decisões complicadas que fazem lembrar situações como as que contém o provérbio «preso por ter cão e preso por não ter». Psicopata-BContudo, a resposta mais forte irá vencer esta indecisão.

A resolução do conflito faz-se sempre através da:
◊ maximização das vantagens e minimização das desvantagens,
◊ evitamento da situação conflitual,
◊ opção em relação a uma das respostas.

Na generalidade, o conflito pode provocar respostas desajustadas e psicopatológicas. No ser humano, a resolução do conflito pode não ser imediata e necessitar de apoio especializado, mas pode também ajudar o indivíduo a atingir níveis de Psi-Bem-Cresolução de conflito muito elevados devido à aprendizagem provocada pelo sucesso e pela boa resolução de algumas situações anteriores em que houve tendências fortes de aproximação e de afastamento, além de necessidade e dificuldade de afastamento em relação ao alvo ou objectivo.

Relativamente ao conflito nas organizações (empresas, etc.), a posição que tradicionalmente se utilizou foi a seguinte:
◊ o conflito não pode ser evitado;
◊ tem origem nos desvios de personalidade dos seus membros ou em tensões extra-organização;
◊ provoca nos intervenientes respostas desadequadas;Joana
◊ gera a polarização das percepções, sentimentos e comportamentos.

Porém, a experiência acumulada durante vários anos de pesquisas em empresas, modificou este conceito para:
◊ o conflito não é evitável
◊ só a avaliação da situação global pode determinar as causas de um conflito
◊ uma organização pode tirar vantagens de um conflito.

Com todas estas ideias inovadoras, tem-se verificado que o conflito pode ser gerido ou até prevista a sua eclosão, desde que Depressão-Bmedidas de observação, diagnóstico e prognóstico sejam adequadas e realizadas com rigor e em tempo oportuno.

Como a escola também é uma organização, como serão os conflitos nela desencadeados? Haverá aprendizagem e vantagens a usufruir com os conflitos que surgem inevitavelmente em qualquer sala de aula? Os «casos» seguintes, devidamente discutidos, podem dar pistas adequadas e frutuosas para a solução eficiente de futuros conflitos ou para a gestão «proveitosa» dos mesmos.

A transcrição do conteúdo do livro com este título vai continuar com a publicação do post nº 4.

Consultou todos os links mencionados neste post?Maluco2

Já leu os comentáriosVisite-nos no Facebook.

A parte fundamental deste livro está incorporada no novo livro «NEUROPSICOLOGIA na Reeducação e Reabilitação» e outros da colecção Biblioterapia.                                                                                                            Para adquirir quaisquer livros que escolher, clique aqui.

Ver também os posts anteriores sobre BIBLIOTERAPIA

É aconselhável consultar o ÍNDICE REMISSIVO de cada livro editado em post individual.

Blogs relacionados:

TERAPIA ATRAVÉS DE LIVROS para a Biblioterapia

PSICOLOGIA PARA TODOS (o antigo)

Para tirar o máximo proveito deste blog, consulte primeiro o post inicial “História do nosso Blog, sempre actualizada”, de Novembro de 2009 e escolha o assunto que mais lhe interessa. Depois, leia o post escolhido com todos os comentários que são feitos. Pode ser que descubra também algum assunto acerca do qual nunca tivesse pensado.

Para saber mais sobre este blog, clique aqui

Anúncios

Single Post Navigation

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: